CDU entregou a lista de candidatos às eleições legislativas nacionais no Tribunal do Funchal

A CDU procedeu hoje, às 11h, à entrega no Tribunal do Funchal da lista de candidatos às próximas Eleições Legislativas Nacionais para a eleição de deputados pelo círculo da Região à Assembleia da República.  Nesta iniciativa Herlanda Amado,...

CDU entregou a lista de candidatos às eleições legislativas nacionais no Tribunal do Funchal
A CDU procedeu hoje, às 11h, à entrega no Tribunal do Funchal da lista de candidatos às próximas Eleições Legislativas Nacionais para a eleição de deputados pelo círculo da Região à Assembleia da República.  Nesta iniciativa Herlanda Amado, cabeça de lista pelo círculo da Madeira, proferiu a seguinte declaração: “A lista da CDU às Eleições para a Assembleia da República a 6 de Outubro, é composta por mulheres e homens comprometidos com a defesa dos direitos dos trabalhadores e do povo da Região Autónoma da Madeira. Defendemos o aumento geral dos salários para todos os trabalhadores e do salário mínimo nacional para 850 euros. Temos apresentado propostas na Assembleia da República que, se aprovadas, garantiriam o direito ao trabalho com direitos, e não o aumento da precaridade e exploração, mas aqui o PS e PSD uniram-se para aprovar graves retrocessos da legislação laboral que agravam as condições de trabalho. Sendo a Madeira uma das regiões do País, que tem um dos maiores défices habitacionais, contribuímos com propostas para que as milhares de famílias que esperam e desesperam por uma habitação na Região, pudessem ver a sua situação habitacional resolvida, mas aqui também, os mesmos de sempre, PS e PSD, juntaram-se e chumbaram uma proposta da CDU que, se aprovada, garantiria um programa extraordinário de apoios à habitação. A resolução do drama vivenciado por milhares de madeirenses e portosantenses, condicionados nas deslocações aéreas devido aos preços exorbitantes praticados nas ligações entre a Região e o Continente, foi sendo adiada com a conivência do PS e do PSD. Agora, aqueles que se arrogam como defensores da medida foram os mesmos que dificultaram a sua aprovação. É necessário garantir que as medidas aprovadas sejam rapidamente regulamentadas e aplicadas pelo próximo parlamento que sairá das eleições de Outubro. Defendemos a saúde enquanto direito universal, e não um negócio da doença entregue a privados. Os cuidados de saúde prestados têm sido negligenciados por PS e do PSD, que se submetem aos interesses privados, como tem ficado demonstrado com a degradação do serviço prestado a todos os utentes do Serviço Regional de Saúde. Como tem ficado provado, não só nos exemplos agora dados, mas em tantos outros, só com o contributo da CDU tem sido possível avançar na recuperação de direitos roubados pelo PS, PSD e CDS. Só com o reforço da CDU, nas próximas eleições, poderemos ter a certeza que os Madeirenses e Portossantenses terão os seus direitos defendidos na Assembleia Regional e na Assembleia da República. É necessária uma alternativa, e não uma alternância em que no fundamental se repetem as políticas de ataque aos direitos dos trabalhadores e do povo. A artificial bipolarização do quadro político, com apoio de alguma comunicação social, ilude quem pensa que vai votar para eleger o Primeiro Ministro ou o Presidente do Governo Regional. O que está em causa nas próximas Eleições, é sim, a eleição de deputados. A lista da CDU tem mulheres e homens comprometidos em lutar por um Novo Rumo para o País e para a Região, por uma verdadeira Autonomia ao serviço dos Trabalhadores e do Povo. Uma força a quem todos reconhecem trabalho, honestidade e competência e com a força dos muitos milhares que acompanham a nossa jornada lutaremos para que este percurso de conquistas continue, para bem dos trabalhadores, do povo, do País e da Região.”