Centro do Funchal amanheceu esta segunda-feira mais movimentado

Apesar do Estado de Emergência e de estar proibida (até à meia-noite de hoje) a deslocação para concelhos fora da área de residência, sem ser por motivo profissional, a baixa do Funchal voltou, esta segunda-feira, a registar uma maior circulação de carros e de pessoas, sobretudo nas principais artérias do centro da cidade.  Também nos estacionamentos exteriores, junto à Cãmara Municipal e zonas circundantes, se nota uma maior concentração de automóveis, quando, por exemplo, comparado com a semana passada ou há duas semanas, em que a cidade estava praticamente deserta. Aos poucos, a população parece querer voltar à normalidade e mostra ainda saindo de casa. Acontece que a situação que levou a este Estado de Emergência ainda não foi debelada e ainda é muito cedo para 'baixar a guarda'.  Ontem, o secretário regional de Saúde alertava para o facto de ainda não ser altura para "medidas precipitadas" e falava da possibilidade de haver mais casos na Região, isto após ter surgido um novo caso positivo após três dias consecutivos sem o registo de quaisquer novos casos. Recorde-se que o número de casos positivos na Madeira subiu ontem para 51, tratando-se de mais um caso importado, designadamente do Reino Unido.

Centro do Funchal amanheceu esta segunda-feira mais movimentado
Apesar do Estado de Emergência e de estar proibida (até à meia-noite de hoje) a deslocação para concelhos fora da área de residência, sem ser por motivo profissional, a baixa do Funchal voltou, esta segunda-feira, a registar uma maior circulação de carros e de pessoas, sobretudo nas principais artérias do centro da cidade.  Também nos estacionamentos exteriores, junto à Cãmara Municipal e zonas circundantes, se nota uma maior concentração de automóveis, quando, por exemplo, comparado com a semana passada ou há duas semanas, em que a cidade estava praticamente deserta. Aos poucos, a população parece querer voltar à normalidade e mostra ainda saindo de casa. Acontece que a situação que levou a este Estado de Emergência ainda não foi debelada e ainda é muito cedo para 'baixar a guarda'.  Ontem, o secretário regional de Saúde alertava para o facto de ainda não ser altura para "medidas precipitadas" e falava da possibilidade de haver mais casos na Região, isto após ter surgido um novo caso positivo após três dias consecutivos sem o registo de quaisquer novos casos. Recorde-se que o número de casos positivos na Madeira subiu ontem para 51, tratando-se de mais um caso importado, designadamente do Reino Unido.