Cigarro eletrónico com nicotina eleva pressão sanguínea e frequência cardíaca

O número de utilizadores de cigarros eletrónicos tem crescido drasticamente nos últimos anos, revela Magnus Lundback autor de um estudo apresentado durante o Congresso Internacional da Sociedade Europeia Respiratória, em Milão, na Itália, citado...

Cigarro eletrónico com nicotina eleva pressão sanguínea e frequência cardíaca
O número de utilizadores de cigarros eletrónicos tem crescido drasticamente nos últimos anos, revela Magnus Lundback autor de um estudo apresentado durante o Congresso Internacional da Sociedade Europeia Respiratória, em Milão, na Itália, citado pelo ‘Notícias ao Minuto’. “O aparelho é considerado inofensivo para o público em geral e a indústria vende o produto como o caminho para reduzir os perigos do cigarro e a solução para os fumadores. Entretanto, a segurança dos cigarros eletrónicos é debatida e um número crescente de evidências sugere efeitos adversos à saúde”, acrescentou. Segundo a mesma fonte, há um “significante aumento na frequência cardíaca e na pressão sanguínea nos voluntários que foram expostos a cigarros eletrónicos que continham nicotina”. 15 jovens saudáveis aceitaram, em 2016, fazer parte do estudo. Os participantes fumavam um máximo de dez cigarros por mês e não haviam usado cigarros eletrónicos antes da experiência, acrescenta o Notícias ao Minuto. A pressão sanguínea, frequência cardíaca e endurecimento arterial foram medidos imediatamente após os voluntários fumarem e depois de duas e quatro horas aparelhos com nicotina, e, num outro momento, sem nicotina. Após 30 minutos a usarem o cigarro eletrónico com nicotina, foi registado um aumento significativo na pressão sanguínea, frequência cardíaca e no endurecimento arterial dos participantes; por outro lado, nenhum efeito foi relatado ao usarem cigarros sem nicotina. “Esses sintomas são justamente atribuídos a essa substância”, disse Lundback. “E mesmo temporários, os efeitos são os mesmos dos encontrados em pessoas que fumam cigarros normais. A exposição crónica passiva ou ativa ao cigarro causa o endurecimento permanente nas artérias. E especulamos que o mesmo ocorra em quem opta por fumar cigarros eletrónicos”, conclui.