Cinco dias de ‘Fado Funchal’ com Alexandra, Mafalda Arnauth e Cristina Branco

Cinco dias a homenagear a música que melhor simboliza o sentir português é o objetivo da 2.ª edição do Festival Fado Funchal, que apresenta de 5 a 9 de outubro nomes grandes do fado como Alexandra, Mafalda Arnauth e Cristina Branco, ao mesmo...

Cinco dias de ‘Fado Funchal’ com Alexandra, Mafalda Arnauth e Cristina Branco
Cinco dias a homenagear a música que melhor simboliza o sentir português é o objetivo da 2.ª edição do Festival Fado Funchal, que apresenta de 5 a 9 de outubro nomes grandes do fado como Alexandra, Mafalda Arnauth e Cristina Branco, ao mesmo tempo que valoriza os talentos madeirenses nesta área. “O fado não é só Lisboa, o fado é português, o fado é nosso e na Madeira faz-se muito bom fado”, afirmou a fadista Sofia Ferreira na apresentação deste evento, no Teatro Municipal Baltazar Dias, que incluirá o espetáculo ‘Funchal Canta Alfredo Marceneiro’. O programa inclui ainda a antestreia do filme ‘Vadio’, de Stefan Lechner, que estreia em Portugal Continental no dia 10 do próximo mês. O 2.º ‘Fado Funchal’ é uma coprodução entre a Câmara Municipal do Funchal, a Associação de Fado da Madeira e os promotores Pedro Marques, Sofia Ferreira e João Borges. Mafalda Arnauth inaugura o programa no dia 5, às 21 horas, e partilhará o palco com o violinista Jacinto Neves e a formação que este dirige, o quarteto ConcentusPerTempora-Ensemble, conforme o JM já tinha revelado, em maio passado. No dia 6, às 18 horas, será tempo de prestar homenagem a Alfredo Marceneiro, uma grande referência do fado, num registo intemporal. ‘Fado Cravo’ e ‘A Casa da Mariquinhas’, entre tantos outros, trazem a sonoridade e a essência da raiz, tanto na música como nas próprias letras da época. Em palco estará o Trio Tradicional de Fado, com os fadistas Márcia Aguiar, Amorim Gonçalves, Sofia Ferreira, acompanhados por Pedro Marques, Emanuel Faria e Miguel Marques. Miguel Pires, que promete surpreender a cantar fado, completa esta homenagem. A 7 de outubro, Cristina Branco é outra referência musical que abrilhantará o festival, em novo concerto marcado para as 21 horas. ‘Vadio’ diversifica o programa eclético, no dia 8, em antestreia a nível nacional, com duas sessões, às 15 e às 19 horas. Com realização e argumento de Stefan Lechner, este documentário é descrito como sendo “um retrato humano sobre uma redenção, que parece inalcançável através da música, mas possível através da poesia, apesar da recusa de David em ser poeta. Uma história de amor por uma Lisboa de outros tempos e pelo Fado, enquanto catarse dos que cantam a tristeza”. ‘Alexandra canta Amália’, um dos mais bem-sucedidos musicais de Filipe La Féria, fecha da melhor forma o programa, a 9 de outubro, às 21 horas, no mês em que se assinalam duas décadas do desaparecimento da mais icónica e incontornável fadista, Amália Rodrigues. A esgotar salas desde 1999, esta poderá ser uma das últimas oportunidades, senão mesmo a última, de assistir a este espetáculo, por uma questão de direitos de autor e de imagem, conforme foi adiantado ao JM. Esta é mais uma aposta do município do Funchal na área cultural, congratulou-se, por seu turno, a vereadora Madalena Nunes, assegurando que vão “continuar a trabalhar abertos à comunidade, continuamos sempre ligados às nossas tradições, mas também não queremos ficar isolados daquilo que é moderno, dos dias dos hoje, porque a cultura faz-se do passado, faz-se do presente e só assim é que ela se consegue projetar no futuro”. De realçar que os bilhetes para os concertos deste festival custam 8€, para o filme ‘Vadio’ 3,5€ (adultos) e 2,5€ (crianças até aos 12 anos e idosos) e para Alexandra são 10€, se comprados até dia 8, inclusive, e 15€ no dia.