Cláudia Monteiro de Aguiar defende qualidade e soluções inteligentes para o Turismo da UE

No evento hoje organizado, no Parlamento Europeu, pela Eurodeputada do PSD Cláudia Monteiro de Aguiar, em parceria com a Hotrec – Associação Europeia para a Hotelaria, Restauração e Similares, estiveram em foco as grandes prioridades da Hotelaria...

Cláudia Monteiro de Aguiar defende qualidade e soluções inteligentes para o Turismo da UE
No evento hoje organizado, no Parlamento Europeu, pela Eurodeputada do PSD Cláudia Monteiro de Aguiar, em parceria com a Hotrec – Associação Europeia para a Hotelaria, Restauração e Similares, estiveram em foco as grandes prioridades da Hotelaria e Restauração Europeias para 2019-24. A primeira intervenção esteve a cargo da Comissária para o Mercado Interno, Indústria, Empreendedorismo e PMEs, Elżbieta Bieńkowska, que destacou "cinco anos de estreita cooperação e diálogo entre os vários agentes do sector do turismo, a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu, com uma vontade enorme de mudar e de fazer crescer o sector", formulando o desejo de que "os próximos 5 anos sejam igualmente de cooperação e abertura ao diálogo de todos os agentes." Por seu lado, Cláudia Monteiro de Aguiar aproveitou a ocasião para reiterar a importância da qualidade e da sustentabilidade deste setor, sendo estas as suas principais linhas orientadoras.  A qualidade e a sustentabilidade neste setor, concretamente no emprego e nos serviços prestados, assim como a qualidade da oferta que é usufruída pelos turistas e a implementação de metodologias dos destinos inteligentes, essenciais para responder ao problema do turismo massificado foram, entre outras, algumas das reflexões trazidas ao debate pela eurodeputada Social-democrata. Já o presidente da Hotrec, Jens Zimmer Christensen, referiu que "os últimos 5 anos foram marcados pela excelente cooperação entre as Associações do sector do turismo e as instituições europeias, em particular com o Parlamento Europeu", realçando que "apesar dos progressos, o sector apresenta ainda muitas debilidades e incertezas, bem evidentes no caso da falência da Thomas Cook, às quais é necessário saber atender." Ainda no âmbito desta discussão, aludiu-se à urgência de serem definidas as Direções Gerais, as Unidades e o portfólio do Turismo no seio da nova Comissão, de modo a que seja reforçada a presença do sector e a sua importância, nesta instituição europeia.