Coligação Confiança considera cultura um vetor estratégico de desenvolvimento do Funchal

Para o candidato da Coligação Confiança à presidência da Junta de Freguesia da Sé, a cultura pode desempenhar um importante vetor estratégico de desenvolvimento no coração da cidade do Funchal.  Diogo Goes defende uma aposta clara na valorização e conservação do património cultural com impactos positivos que vão desde a atratividade turística até à inclusão social. Durante uma visita ao atelier da pintora Teresa Gonçalves Lobo, integrado nos 'Roteiros pelo Coração da Cidade', Diogo Goes deu nota que a cidade do Funchal pode sair a ganhar na valorização do património cultural em domínios tão distintos como o turismo e a dinamização do tecido comercial, havendo uma clara oportunidade para as autarquias, em particular para as juntas de freguesia, para a promoção de projetos intergeracionais, que aproximem novos públicos da arte, do património e dos museus, contribuindo para a inclusão dos mais jovens e dos mais seniores através da arte. "Cada vez mais na sociedade em que vivemos, que é fragmentada, que desincentiva à partilha, as instituições e os decisores públicos têm esse dever de potenciar um espírito de partilha, um espírito de diálogo e de desenvolvimento de projetos comuns para cumprir uma verdadeira democracia cultural, participada e para podermos juntos construir uma sociedade mais justa e mais solidária", afirma Diogo Goes. Os 'Roteiros pelo Coração da Cidade' têm por objetivo divulgar e valorizar o trabalho das instituições sociais e culturais do coração da cidade do Funchal, ao mesmo tempo que estabelece um contacto de proximidade com as pessoas, auscultando as suas preocupações e sugestões. 

Coligação Confiança considera cultura um vetor estratégico de desenvolvimento do Funchal
Para o candidato da Coligação Confiança à presidência da Junta de Freguesia da Sé, a cultura pode desempenhar um importante vetor estratégico de desenvolvimento no coração da cidade do Funchal.  Diogo Goes defende uma aposta clara na valorização e conservação do património cultural com impactos positivos que vão desde a atratividade turística até à inclusão social. Durante uma visita ao atelier da pintora Teresa Gonçalves Lobo, integrado nos 'Roteiros pelo Coração da Cidade', Diogo Goes deu nota que a cidade do Funchal pode sair a ganhar na valorização do património cultural em domínios tão distintos como o turismo e a dinamização do tecido comercial, havendo uma clara oportunidade para as autarquias, em particular para as juntas de freguesia, para a promoção de projetos intergeracionais, que aproximem novos públicos da arte, do património e dos museus, contribuindo para a inclusão dos mais jovens e dos mais seniores através da arte. "Cada vez mais na sociedade em que vivemos, que é fragmentada, que desincentiva à partilha, as instituições e os decisores públicos têm esse dever de potenciar um espírito de partilha, um espírito de diálogo e de desenvolvimento de projetos comuns para cumprir uma verdadeira democracia cultural, participada e para podermos juntos construir uma sociedade mais justa e mais solidária", afirma Diogo Goes. Os 'Roteiros pelo Coração da Cidade' têm por objetivo divulgar e valorizar o trabalho das instituições sociais e culturais do coração da cidade do Funchal, ao mesmo tempo que estabelece um contacto de proximidade com as pessoas, auscultando as suas preocupações e sugestões.