Coligação na Madeira “vai funcionar muito bem, para desgosto do PS”

Colateralmente ao triunfo eleitoral, na Região, desta noite, o líder PSD Madeira abordou o que aí vem, em termos regionais, assegurando que o acordo com o CDS é estável e duradouro. Miguel Albuquerque revelou o calendário dos próximos dias,...

Coligação na Madeira “vai funcionar muito bem, para desgosto do PS”
Colateralmente ao triunfo eleitoral, na Região, desta noite, o líder PSD Madeira abordou o que aí vem, em termos regionais, assegurando que o acordo com o CDS é estável e duradouro. Miguel Albuquerque revelou o calendário dos próximos dias, projetando para terça feira a assinatura do acordo e comunicação pública do mesmo, desvalorizando a questão em redor da presidência da ALRAM. Antes, hoje, ambos os partidos vão levar o documento às suas estruturas, para  ratificar o acordo, pelo que só terça-feira deverá haver o anúncio público do entendimento. “O que vem a público, não é aquilo que está negociado”, garantiu. E exaltou que “o que está negociado, é termos um processo para, em primeiro lugar, elaborar um quadro de princípios entre os dois partidos para o quadro legislativos de quatro anos, com consistência e estabilidade”. E sim, tem a certeza, “a solução vai funcionar muito bem, para grande desgosto das forças de esquerda, sobretudo do PS”. Perante a insistência da eventual ‘pedra no sapato’ que poderia constituir uma presidência da ALRAM para o CDS, Albuquerque voltou a assegurar que no acordo “não estão em causa nomes, mas sim essa “estabilidade, consistência e tranquilidade para os próximos quatro anos”.  De resto, essa questão relativa à ALRAM, segundo Miguel Albuquerque, só se colocará após a concretização do calendário que exaltou anteriormente, denotando total tranquilidade em relação a esse assunto. “O que é importante é ter um acordo”, frisou.