Comissão Europeia acompanha caso de carne contaminada no sul de Espanha

A Comissão Europeia disse hoje estar informada sobre o surto de listeriose no sul de Espanha, que já fez um morto, relacionado com o consumo de carne contaminada embalada, estando ainda em “contacto direto” com as autoridades espanholas. “A...

Comissão Europeia acompanha caso de carne contaminada no sul de Espanha
A Comissão Europeia disse hoje estar informada sobre o surto de listeriose no sul de Espanha, que já fez um morto, relacionado com o consumo de carne contaminada embalada, estando ainda em “contacto direto” com as autoridades espanholas. “A Comissão Europeia foi informada sobre o surto relacionado com o consumo de carne contaminada e está em contacto direto com as autoridades espanholas para monitorizar, juntamente com elas, os desenvolvimentos da situação”, declarou a porta-voz do executivo comunitário para a área segurança alimentar, Anca Paduraru. Falando na conferência de imprensa daquela instituição, em Bruxelas, a responsável apontou que, “de acordo com as autoridades espanholas, a distribuição da carne foi limitada ao território espanhol”, estando em causa produtos da empresa sevilhana Magrudis, nomeadamente da marca "La Mechá". Anca Paduraru adiantou que foram ainda “tomadas medidas necessárias de suspensão, o que significou a retirada da carne contaminada do mercado”. A listeriose é uma infeção causada pela bactéria 'Listeria monocytogenes', habitualmente associada ao consumo de alimentos contaminados. Apesar de pouco frequente, a infeção pode ser grave, especialmente em imunodeprimidos e recém-nascidos. Hoje, o Ministério da Saúde espanhol recomendou à população para não consumir os produtos de carne embalada da marca “La Mechá”, que está na origem do surto de listeriose e que afeta sobretudo a Andaluzia, no sul do país. O Ministério da Saúde aconselhou igualmente as pessoas que já consumiram os produtos da marca “La Mechá” a consultar os serviços médicos caso apresentem algum sintoma de terem sido afetados pela bactéria (listeriose). Os produtos referenciados são “chincharrón” andaluz (gordura de porco frita), lombo de Jerez, lombo com pimentão, e lombo caseiro temperado com pimentão, da marca “La Mechá”. Todos os produtos embalados identificados pelo Ministério da Saúde foram distribuídos na Andaluzia e em Madrid, exceto o lombo caseiro temperado com pimentão que foi comercializado apenas na Andaluzia. O alerta é uma medida de precaução na sequência do surto de listeriose que continua a aumentar com 150 casos confirmados, na maioria localizados na Andaluzia, após o consumo da carne contaminada, mas há mais de 500 casos suspeitos que ainda estão a ser analisados. Uma idosa de 90 anos que apresentava sinais e sintomas não resistiu à infeção e acabou por morrer. Em Portugal, a Direção Geral de Alimentação e Veterinária esclareceu na quarta-feira que a carne contaminada com a bactéria 'Listeria monocytogenes' da marca “La Mechá” e os produtos com origem no fabricante (Magrudis) espanhol, não são comercializados em território português. Em Portugal, a listeriose é uma doença de notificação obrigatória desde 2014, através do Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SINAVE). A maioria dos casos confirmados de pessoas afetadas na Andaluzia estão localizados em Sevilha, Huelva, Málaga e Granada. Outras comunidades também relataram casos associados ao surto, como as Astúrias, especificamente em Gijón, e na Extremadura, onde quatro pessoas foram diagnosticadas com a bactéria por terem consumido produtos em Sevilha e Huelva. Na Catalunha, também há casos confirmados da mesma família, que consumiu o produto de carne adquirido por um membro da família na Andaluzia. Em Madrid, foram registados cinco casos, quatro pessoas que comeram carne da empresa andaluza. De acordo com informação disponível no ‘site’ SNS24 do Serviço Nacional de Saúde, a listeriose pode causar febre, calafrios, dores musculares, enjoo, vómitos, diarreia.