Como pode a China construir um hospital em 10 dias?

A cidade chinesa de Wuhan vai construir um hospital em 10 dias para tratar pacientes infetados com o coronavírus. Foi projetado para acolher 1000 camas e terá uma área de 25.000m2. Como isto será possível?  De acordo com uma reportagem da BBC...

Como pode a China construir um hospital em 10 dias?
A cidade chinesa de Wuhan vai construir um hospital em 10 dias para tratar pacientes infetados com o coronavírus. Foi projetado para acolher 1000 camas e terá uma área de 25.000m2. Como isto será possível?  De acordo com uma reportagem da BBC News, a nova unidade hospitalar será semelhante à criada em Pequim, em 2003, para ajudar a combater o vírus Sars. "É basicamente um hospital de quarentena para onde serão enviadas pessoas com doenças infecciosas para que tenham os equipamentos de segurança e proteção", explica Joan Kaufman, professora de medicina social e de saúde na Harvard Medical School. Como consegue a China fazê-lo?  Segundo Yanzhong Huang, membro sénior de saúde global do Conselho de Relações Exteriores, "a China tem um histórico de fazer as coisas com rapidez, mesmo em projetos monumentais como este" e ressalva: "em 2003, o hospital em Pequim foi construído em sete dias. Assim, como o hospital de Pequim, o centro de Wuhan será construído com prédios pré-fabricados", revelou, acrescentando que a China tem uma abordagem de mobilização "de cima para baixo". "Eles podem superar a natureza burocrática e as restrições financeiras e são capazes de mobilizar todos os recursos". "O trabalho de engenharia é o que a China faz bem. Eles têm registos de construção de arranha-céus em alta velocidade. Isso é muito difícil para os ocidentais imaginarem", finalizou. Recorde-se que, em 2003, o Hospital Xiaotangshan foi construído em Pequim para acomodar o número de pacientes com sintomas de Sars. Foi construído em sete dias, supostamente quebrando o recorde mundial de construção mais rápida de um hospital. Cerca de 4.000 pessoas trabalharam noite e dia para construir o hospital. Em dois meses, o hospital admitiu um sétimo dos pacientes de Sars no país e foi aclamado como um "milagre na história da medicina" pelos media locais.