Congresso 'Memória e Futuro' arranca amanhã em São Jorge

A freguesia de São Jorge recebe a 12 e 13  de agosto de 2019 a segunda edição do Congresso "São Jorge – Memória e Futuro" que decorrerá no auditório da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de São Jorge, sob o lema "Pensar o Norte". A sessão solene...

Congresso 'Memória e Futuro' arranca amanhã em São Jorge
A freguesia de São Jorge recebe a 12 e 13  de agosto de 2019 a segunda edição do Congresso "São Jorge – Memória e Futuro" que decorrerá no auditório da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de São Jorge, sob o lema "Pensar o Norte". A sessão solene de abertura está agendada para as 10h00 de amanhã, 12 de agosto de 2019, estando prevista a presença do presidente do Governo Regional da Madeira e do Bispo da Diocese. Entre os oradores convidados contam-se nomes como José Eduardo Franco, Alberto João Jardim, António Trindade, Francisco Gomes e Miguel Gouveia, presidente da Câmara Municipal do Funchal. O historiador Eduardo Franco abrirá o ciclo de conferências, no dia 12 de agosto,  com  o tema "O Desenvolvimento Costa Norte: história recente e projeto de uma reforma Administrativa", num painel que contará ainda com a participação de Francisco Gomes e de António Trindade, Diretor da Escola Agrícola de São Vicente. A abrir o segundo dia do evento, realizar-se-à um painel de debate subordinado à temática "Que futuro para a Costa Norte?, que  abordará áreas como a saúde, a educação, a economia, a solidariedade, entre outras. Haverá espaço ainda para o professor Jacinto Jardim, da Universidade Aberta, abordar a temática "Regiões empreendedoras: contextos, estratégias e indicadores de uma transformação". O congresso encerrará com a palestra de Alberto João Jardim: "Costa Norte, a autonomia política da Madeira e o desenvolvimento na área." O evento será um espaço de debate sobre passado, presente e futuro da Costa Norte da Madeira, em vária áreas e um tempo para recordar histórias e tradições, cruzando saberes e experiências: da história ao património, da religião ao artesanato, da música às tradições da nossa gente, entre outras.   A organização estará a cargo de um conjunto de pessoas da sociedade civil de São Jorge, que em comum têm o gosto pela sua terra e a vontade de juntar algumas figuras ilustres da nossa cultura num espaço de reflexão sobre a história da nossa terra e as suas perspetivas de futuro. São Jorge, rincão florido, é terra de solos férteis e bonitas paisagens do mar à serra, onde se inclui parte da Floresta Laurissilva, classificada pela UNESCO como Património Natural da Humanidade. Terra mãe, mantém uma feição ainda marcadamente agrícola. Durante vários séculos, a foz da sua ribeira foi também um importante entreposto comercial da zona Norte da Ilha da Madeira. A Igreja Matriz, datada de 1761, é o orgulho das suas gentes. Terra de Cardeal e da Levada do Rei, de um moinho e de uma serra de água, de um farol e de encantadores miradouros.