Conheça as novas descobertas acerca do Arrokoth. O objeto mais longínquo já visitado

O Arrokoth, descoberto no dia 26 de junho de 2014, é designado como o objeto mais longínquo já visitado. Até novembro do ano passado, era conhecido por ‘Ultima Thule’, que significa “lugar além do mundo conhecido”. Mas, de acordo com três artigos...

Conheça as novas descobertas acerca do Arrokoth. O objeto mais longínquo já visitado
O Arrokoth, descoberto no dia 26 de junho de 2014, é designado como o objeto mais longínquo já visitado. Até novembro do ano passado, era conhecido por ‘Ultima Thule’, que significa “lugar além do mundo conhecido”. Mas, de acordo com três artigos científicos, publicados esta semana na revista ‘Science’, existem novas descobertas há cerca deste objeto. Sabe-se agora que não se formou de forma violenta, que é vermelho, frio e que terá cerca de 4000 milhões de anos. Em janeiro de 2019, a sonda ‘New Horizons’ da NASA, conseguiu aproximar-se do objeto, situado a 6400 milhões de quilómetros de distância da Terra, na cintura de Kuiper, uma zona mais periférica do nosso sistema solar. Foi aí que descobriram os dois lóbulos vermelhos. Os novos artigos da ‘Science’ dão conta de mais informações com dados precisos e sofisticados. Numa das informações divulgadas, os dois lóbulos são apresentados como corpos independentes e que se juntaram de forma “muito suave”, criando um objeto de 35 quilómetros de comprimento. O artigo afirma ainda que a criação deste objeto deu-se quando uma nuvem de partículas sólitas foi atraída pela gravidade. “Parece-nos que o Arrokoth não se formou devido a colisões violentas, mas a uma dança intricada em que os objectos que o compõem se orbitaram lentamente até se unirem”, lê-se numa notícia do ‘Público’, que cita William McKinnon, investigador da missão New Horizons e líder do artigo sobre a formação do objecto, num comunicado da NASA. No segundo artigo, foi explorado a forma do Arrokoth onde foi excluída a hipótese que os lóbulos são menos planos e mais volumosos do que se pensava no inicio.  A superfície é lisa, com algumas crateras. No último artigo, no que concerne à composição, cor e temperatura da superfície, sabe-se agora que é vermelha, fria e coberta com gelo de metanol.