Coronavírus encerra Parques da Disneylândia em Hong Kong e Xangai por tempo indeterminado

Os parques temáticos da Disneylândia em Hong Kong e Xangai encerram as suas portas a partir de hoje, por tempo indeterminado, para evitar a propagação do novo coronavírus que já provocou a morte a 56 pessoas. Em comunicado, os responsáveis...

Coronavírus encerra Parques da Disneylândia em Hong Kong e Xangai  por tempo indeterminado
Os parques temáticos da Disneylândia em Hong Kong e Xangai encerram as suas portas a partir de hoje, por tempo indeterminado, para evitar a propagação do novo coronavírus que já provocou a morte a 56 pessoas. Em comunicado, os responsáveis pelos dois parques temáticos apontam que esta decisão é "uma medida preventiva” que tem como objetivo garantir "a saúde e a segurança dos nossos hóspedes e funcionários". Na mesma nota lê-se que os responsáveis dos dois parques permanecem "em contacto com as autoridades de saúde e com o Governo” e que só vão anunciar datas de reabertura quando as autoridades garantirem que “seja aconselhável”. As reservas feitas com antecedência vão ser reembolsadas, garantiram. O número de mortos devido ao novo coronavírus detetado na China aumentou para 56 e infetou 1.975 pessoas no país, das quais 324 estão em estado grave, anunciou hoje a Comissão Nacional de Saúde chinesa. Durante o sábado, 15 novas mortes foram registadas e 688 novas infeções foram identificadas, detalharam as autoridades chinesas. Além da China continental, há quase meia centena de infeções confirmadas em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, França, Austrália e Canadá. As autoridades chinesas alertaram que o país está no ponto "mais crítico" no que toca à prevenção e controlo do vírus, cancelaram as celebrações do Ano Lunar do Rato e colocaram em quarentena 13 cidades. Os sintomas associados à infeção causada pelo coronavírus com o nome provisório de 2019-nCoV são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, como falta de ar. O novo coronovírus foi detetado em Wuhan, uma cidade de 11 milhões de habitantes e capital da província de Hubei, no centro da China. Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde reportou o primeiro caso suspeito de infeção de um homem que regressou de Wuhan no sábado, e que foi internado no Hospital Curry Cabral, em Lisboa, em situação estável.