Costa norte em desertificação acelerada pelas políticas erradas do PSD, denuncia BE

“A Madeira está a perder população, nos oito anos anteriores perdeu mil alunos por ano, no próximo ano letivo são 3.600 alunos a menos. Esta é a mais evidente prova do falhanço da política do PSD”, critica o Bloco de Esquerda, num comunicado...

Costa norte em desertificação acelerada pelas políticas erradas do PSD, denuncia BE
“A Madeira está a perder população, nos oito anos anteriores perdeu mil alunos por ano, no próximo ano letivo são 3.600 alunos a menos. Esta é a mais evidente prova do falhanço da política do PSD”, critica o Bloco de Esquerda, num comunicado assinado pelo coordenador, Paulino Ascenção.  “Na costa norte a desertificação é mais acentuada, o ‘desenvolvimento’ baseado em obras públicas não serve para fixar as pessoas, Albuquerque prometeu fazer diferente, mas afinal faz igual a Jardim. O PSD tanto critica Sócrates, mas faz igual - as autoestradas no interior do Continente também não serviram para diminuir a desertificação, criaram dívida pública”, ressalvou.  Nessa ordem de ideias, o candidato bloquista defendeu que “as vias rápidas só por si, já se viu, não garantem emprego com futuro, mas garantem o enriquecimento aos senhores do betão. O PSD governa para os grandes negócios e castiga a maioria dos madeirenses, condena-os a pobreza e a emigração”, denunciou.  “Os governantes do PSD estão no governo para tratar da sua vidinha e o exemplo vem de cima. Estamos na Quinta do Arco, que era propriedade de Miguel Albuquerque e agora é uma unidade hoteleira do grupo Pestana. Esta transação ocorreu já durante o Governo de Albuquerque. O Grupo Pestana beneficiou da decisão de Albuquerque de renovar a concessão da Zona Franca sem concurso, concessão que já lhe rendeu mais de 50 milhões de lucros”, apontou ainda.  “Parece que Albuquerque usou o cargo de presidente do Governo para resolver os seus negócios privados. Em política o que parece é”, lançou a ‘farpa’.  “O presidente do Governo deve explicar como é que estes negócios que o envolvem a ele e o grupo Pestana não têm qualquer relação um com o outro, como acha que tem condições para continuar a governar e de apresentar-se às próximas eleições como candidato”, afirmou ainda.  “Um governante que se desse ao respeito ter-se-ia demitido, mas para o PSD-Madeira vale tudo”, rematou.