Covid-19: Cardeal próximo do Papa Francisco testa positivo

O cardeal-vigário da diocese de Roma testou positivo para o novo coronavírus, no que é o primeiro caso de um cardeal próximo do Papa Francisco a ser infetado. Segundo um comunicado da diocese, Angelo De Donatis, de 66 anos, foi hospitalizado com febre no hospital Gemelli, na capital italiana, encontrando-se estável e a receber tratamento antivírico. “Também eu estou a viver esta provação, estou sereno e confiante”, relata o cardel-vigário, solidarizando-se com o "sofrimento” dos doentes. Os seus colaboradores mais próximos foram colocados em isolamento, como medida preventiva, indica a diocese romana, citada pelas agências internacionais. O cardeal esteve em contacto com o Papa Francisco nas últimas semanas, mas não pessoalmente, para participar na decisão de fechar todas as igrejas de Roma, em linha com o decreto governamental de paralisação total. O cardeal que gere o dia a dia da igreja é a sexta pessoa a ser testada positivamente para o novo coronavírus na Cidade do Vaticano. Entre os infetados está também um funcionário da Secretaria de Estado, residente na casa de Santa Marta, onde vive o Papa Francisco, que já se submeteu ao teste por duas vezes, mas deu sempre negativo. O Papa Francisco tem assegurado, por vídeo e sem contacto com os fiéis, as missas matutinas diárias de Santa Marta, as audiências gerais das quartas-feiras e a oração do Ângelus. O Vaticano fechou a Praça e a Basílica de São Pedro até 03 de abril e o Papa já cancelou a visita a Malta prevista para 31 de maio. Mesmo o diário do Vaticano, "L'Osservatore Romano", suspendeu a publicação impressa, pela primeira vez em 159 anos, para evitar contágios entre a equipa, tendo mantido apenas a edição digital. O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já infetou mais de 750 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 36 mil. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. O continente europeu, com mais de 413 mil infetados e mais de 26.500 mortos, é aquele onde se regista atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais (11.591 mortos em 101.739 casos confirmados). Em Portugal, já se registaram 140 mortes e 6.408 casos de infeção.

Covid-19: Cardeal próximo do Papa Francisco testa positivo
O cardeal-vigário da diocese de Roma testou positivo para o novo coronavírus, no que é o primeiro caso de um cardeal próximo do Papa Francisco a ser infetado. Segundo um comunicado da diocese, Angelo De Donatis, de 66 anos, foi hospitalizado com febre no hospital Gemelli, na capital italiana, encontrando-se estável e a receber tratamento antivírico. “Também eu estou a viver esta provação, estou sereno e confiante”, relata o cardel-vigário, solidarizando-se com o "sofrimento” dos doentes. Os seus colaboradores mais próximos foram colocados em isolamento, como medida preventiva, indica a diocese romana, citada pelas agências internacionais. O cardeal esteve em contacto com o Papa Francisco nas últimas semanas, mas não pessoalmente, para participar na decisão de fechar todas as igrejas de Roma, em linha com o decreto governamental de paralisação total. O cardeal que gere o dia a dia da igreja é a sexta pessoa a ser testada positivamente para o novo coronavírus na Cidade do Vaticano. Entre os infetados está também um funcionário da Secretaria de Estado, residente na casa de Santa Marta, onde vive o Papa Francisco, que já se submeteu ao teste por duas vezes, mas deu sempre negativo. O Papa Francisco tem assegurado, por vídeo e sem contacto com os fiéis, as missas matutinas diárias de Santa Marta, as audiências gerais das quartas-feiras e a oração do Ângelus. O Vaticano fechou a Praça e a Basílica de São Pedro até 03 de abril e o Papa já cancelou a visita a Malta prevista para 31 de maio. Mesmo o diário do Vaticano, "L'Osservatore Romano", suspendeu a publicação impressa, pela primeira vez em 159 anos, para evitar contágios entre a equipa, tendo mantido apenas a edição digital. O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, já infetou mais de 750 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 36 mil. Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. O continente europeu, com mais de 413 mil infetados e mais de 26.500 mortos, é aquele onde se regista atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais (11.591 mortos em 101.739 casos confirmados). Em Portugal, já se registaram 140 mortes e 6.408 casos de infeção.