Covid-19: compras e levantamentos por multibanco recuaram 15,3%

No 1.º trimestre de 2020, os montantes relativos às duas principais operações da rede Multibanco ascenderam aos 393,5 milhões de euros. Todavia, o impacto do novo coronavírus já foi notório em março, revelando uma quebra pronunciada nas transações. De acordo com os dados publicados hoje pela Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM), o valor agregado dos levantamentos e das compras através de terminais de pagamento automático da rede Multibanco cresceu apenas 0,8% em termos homólogos, influenciado pela forte quebra em março.  Parte do trimestre em referência, particularmente a 2.ª metade de março, foi já influenciada por algumas medidas restritivas para controlo da pandemia do COVID-19, nomeadamente a entrada em vigor do Estado de Emergência. Assim, enquanto em janeiro, aquele agregado cresceu 8,1% em termos homólogos, acelerando para 10,8% em fevereiro, em março observa-se um recuo muito pronunciado de 15,3%. A análise dos dados por município mostra que os levantamentos agregados às compras através de TPA decresceram na Calheta (-10,4%), no Porto Moniz (-4,2%) e no Funchal (-1,5%), enquanto nos outros municípios a variação foi positiva, destacando-se o Porto Santo (+29,0%) e Santana (+10,4%).    

Covid-19: compras e levantamentos por multibanco recuaram 15,3%
No 1.º trimestre de 2020, os montantes relativos às duas principais operações da rede Multibanco ascenderam aos 393,5 milhões de euros. Todavia, o impacto do novo coronavírus já foi notório em março, revelando uma quebra pronunciada nas transações. De acordo com os dados publicados hoje pela Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM), o valor agregado dos levantamentos e das compras através de terminais de pagamento automático da rede Multibanco cresceu apenas 0,8% em termos homólogos, influenciado pela forte quebra em março.  Parte do trimestre em referência, particularmente a 2.ª metade de março, foi já influenciada por algumas medidas restritivas para controlo da pandemia do COVID-19, nomeadamente a entrada em vigor do Estado de Emergência. Assim, enquanto em janeiro, aquele agregado cresceu 8,1% em termos homólogos, acelerando para 10,8% em fevereiro, em março observa-se um recuo muito pronunciado de 15,3%. A análise dos dados por município mostra que os levantamentos agregados às compras através de TPA decresceram na Calheta (-10,4%), no Porto Moniz (-4,2%) e no Funchal (-1,5%), enquanto nos outros municípios a variação foi positiva, destacando-se o Porto Santo (+29,0%) e Santana (+10,4%).