Covid-19: Doentes franceses são transferidos para hospitais na Alemanha

Helicópteros militares franceses transportaram hoje pacientes infetados pelo novo coronavírus da cidade francesa de Metz, um dos principais centros da epidemia no país, para a Alemanha, anunciou o Governo francês. A ministra da Defesa francesa, Florence Parly, publicou na sua conta na rede social Twitter que esta operação foi realizada para levar doentes a "hospitais com capacidade para recebê-los".   Florence Parly explicou que os voos foram realizados por helicópteros Caïman e que, na sexta-feira, conversou com sua homóloga alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer, para discutir as modalidades desta transferência de doentes.   "Agradeço profundamente aos nossos amigos alemães pelo seu apoio e solidariedade", disse a ministra francesa, acrescentando que ambos os países compartilham "um objetivo: vencer a covid-19".   Nos últimos dias, a França realizou várias transferências de pacientes infetados pelo novo coronavírus em seu território por helicópteros, aeronaves e navios militares, bem como por um comboio de alta velocidade especialmente adaptado (TGV).   O objetivo é aliviar a sobrelotação dos hospitais nas áreas mais afetadas pela epidemia e, em particular, na região leste do país (onde está Metz), que em termos relativos tem o maior número de casos relatados.   Neste fim de semana, espera-se que 48 pessoas sejam transportadas desta região em direção à região da Nova Aquitânia (sudoeste) em dois comboios.   Além disso, outros 15 deixarão a Ile de France, região de Paris, para serem admitidos em hospitais no vale do Loire.   A situação em Ile de France é cada vez mais tensa, embora a saturação ainda não tenha sido alcançada, com 1.300 locais de reanimação ocupados face aos 1.500 disponíveis.   De acordo com os números divulgados no final da sexta-feira pelo diretor-geral de saúde francês, Jérôme Salomon, 32.964 casos confirmados da covid-19 foram registados em França e 1.995 doentes morreram, dos quais 299 nas últimas 24 horas.   O número oficial de mortos na França conta apenas aqueles que ocorreram em hospitais, não aqueles que morreram em casas de repouso ou em suas casas.   O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 572 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 26.500.   Dos casos de infeção, pelo menos 124.400 são considerados curados.   Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.    

Covid-19: Doentes franceses são transferidos para hospitais na Alemanha
Helicópteros militares franceses transportaram hoje pacientes infetados pelo novo coronavírus da cidade francesa de Metz, um dos principais centros da epidemia no país, para a Alemanha, anunciou o Governo francês. A ministra da Defesa francesa, Florence Parly, publicou na sua conta na rede social Twitter que esta operação foi realizada para levar doentes a "hospitais com capacidade para recebê-los".   Florence Parly explicou que os voos foram realizados por helicópteros Caïman e que, na sexta-feira, conversou com sua homóloga alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer, para discutir as modalidades desta transferência de doentes.   "Agradeço profundamente aos nossos amigos alemães pelo seu apoio e solidariedade", disse a ministra francesa, acrescentando que ambos os países compartilham "um objetivo: vencer a covid-19".   Nos últimos dias, a França realizou várias transferências de pacientes infetados pelo novo coronavírus em seu território por helicópteros, aeronaves e navios militares, bem como por um comboio de alta velocidade especialmente adaptado (TGV).   O objetivo é aliviar a sobrelotação dos hospitais nas áreas mais afetadas pela epidemia e, em particular, na região leste do país (onde está Metz), que em termos relativos tem o maior número de casos relatados.   Neste fim de semana, espera-se que 48 pessoas sejam transportadas desta região em direção à região da Nova Aquitânia (sudoeste) em dois comboios.   Além disso, outros 15 deixarão a Ile de France, região de Paris, para serem admitidos em hospitais no vale do Loire.   A situação em Ile de France é cada vez mais tensa, embora a saturação ainda não tenha sido alcançada, com 1.300 locais de reanimação ocupados face aos 1.500 disponíveis.   De acordo com os números divulgados no final da sexta-feira pelo diretor-geral de saúde francês, Jérôme Salomon, 32.964 casos confirmados da covid-19 foram registados em França e 1.995 doentes morreram, dos quais 299 nas últimas 24 horas.   O número oficial de mortos na França conta apenas aqueles que ocorreram em hospitais, não aqueles que morreram em casas de repouso ou em suas casas.   O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 572 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 26.500.   Dos casos de infeção, pelo menos 124.400 são considerados curados.   Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.