Covid-19: Donald Trump desiste de quarentena que admitira em três estados

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou esta noite que desistiu de colocar os estados de Nova Iorque, Nova Jersey e Connecticut de quarentena por causa da covid-19. Durante o dia de sábado, o Presidente afirmou que gostava de “ter quarentena em Nova Iorque, porque é um ponto crítico” e New Jersey e “talvez um ou outro lugar, como algumas partes de Connecticut”. Agora, o Presidente veio dizer que pediu ao Centro de Controle de Doenças (CDC), a autoridade nacional de saúde, para emitir um aviso “firme” para dissuadir as entradas e saídas desses estados mas sem fechar as fronteiras. Donald Trump ainda esta semana afirmou ser necessário que a população regressasse à vida normal, para procurar salvar a economia norte-americana. Nos Estados Unidos o número de mortes causadas pela pandemia de coronavírus ultrapassou no sábado os 2.000, enquanto o número de casos chegou a 120.000, segundo uma contagem da Universidade Johns Hopkins. Os Estados Unidos são o país do mundo com maior número de casos confirmados (121.117), e o número de mortes (2.010) duplicou desde quarta-feira, quando tinha ultrapassado o milhar. A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 30.003 pessoas no mundo inteiro, dois terços na Europa, desde que a doença surgiu em dezembro na China, segundo um balanço da AFP às 19:00 de sábado, a partir de dados oficiais. Segundo a contabilidade da agência de notícias francesa, já foram diagnosticados mais de 640.770 casos de infeção pelo novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, e a pandemia espalhou-se por 183 países ou territórios. Portugal registava no sábado 100 mortes associadas à covid-19, mais 24 do que na sexta-feira, enquanto o número de infetados era 5.170.  

Covid-19: Donald Trump desiste de quarentena que admitira em três estados
O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou esta noite que desistiu de colocar os estados de Nova Iorque, Nova Jersey e Connecticut de quarentena por causa da covid-19. Durante o dia de sábado, o Presidente afirmou que gostava de “ter quarentena em Nova Iorque, porque é um ponto crítico” e New Jersey e “talvez um ou outro lugar, como algumas partes de Connecticut”. Agora, o Presidente veio dizer que pediu ao Centro de Controle de Doenças (CDC), a autoridade nacional de saúde, para emitir um aviso “firme” para dissuadir as entradas e saídas desses estados mas sem fechar as fronteiras. Donald Trump ainda esta semana afirmou ser necessário que a população regressasse à vida normal, para procurar salvar a economia norte-americana. Nos Estados Unidos o número de mortes causadas pela pandemia de coronavírus ultrapassou no sábado os 2.000, enquanto o número de casos chegou a 120.000, segundo uma contagem da Universidade Johns Hopkins. Os Estados Unidos são o país do mundo com maior número de casos confirmados (121.117), e o número de mortes (2.010) duplicou desde quarta-feira, quando tinha ultrapassado o milhar. A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 30.003 pessoas no mundo inteiro, dois terços na Europa, desde que a doença surgiu em dezembro na China, segundo um balanço da AFP às 19:00 de sábado, a partir de dados oficiais. Segundo a contabilidade da agência de notícias francesa, já foram diagnosticados mais de 640.770 casos de infeção pelo novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, e a pandemia espalhou-se por 183 países ou territórios. Portugal registava no sábado 100 mortes associadas à covid-19, mais 24 do que na sexta-feira, enquanto o número de infetados era 5.170.