Covid-19: EUA ultrapassam barreira dos 40.000 mortos

Os Estados Unidos ultrapassaram hoje a barreira dos 40 mil mortos no quadro da pandemia da covid-19, registando mais de 40.500 óbitos desde o início, anunciou a Universidade John Hopkins. Segundo a mesma fonte, a barreira dos 30.000 mortos fora ultrapassada na quinta-feira. O país onde a epidemia está a progredir mais rapidamente também regista mais de 740.000 casos de infeção confirmados, segundo a universidade, que atualiza continuamente seus dados. A nível global, a pandemia da covid-19 já provocou mais de 160 mil mortos e infetou mais de 2,3 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 518 mil doentes foram considerados curados. Em Portugal, morreram 714 pessoas das 20.206 registadas como infetadas. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial. Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria ou Espanha, a aliviar algumas das medidas.

Covid-19: EUA ultrapassam barreira dos 40.000 mortos
Os Estados Unidos ultrapassaram hoje a barreira dos 40 mil mortos no quadro da pandemia da covid-19, registando mais de 40.500 óbitos desde o início, anunciou a Universidade John Hopkins. Segundo a mesma fonte, a barreira dos 30.000 mortos fora ultrapassada na quinta-feira. O país onde a epidemia está a progredir mais rapidamente também regista mais de 740.000 casos de infeção confirmados, segundo a universidade, que atualiza continuamente seus dados. A nível global, a pandemia da covid-19 já provocou mais de 160 mil mortos e infetou mais de 2,3 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 518 mil doentes foram considerados curados. Em Portugal, morreram 714 pessoas das 20.206 registadas como infetadas. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China. Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial. Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria ou Espanha, a aliviar algumas das medidas.