Covid-19: Governo afirma que terceira fase de desconfinamento exige responsabilidade de todos

O secretário de Estado da Saúde defendeu hoje que quando Portugal se prepara para entrar na terceira fase de desconfinamento devido à pandemia da covid-19 “a liberdade é diretamente proporcional à responsabilidade”. “Estamos prestes a entrar na terceira fase do desconfinamento, o que nos compromete ainda mais a todos. A nossa liberdade é diretamente proporcional à nossa responsabilidade”, disse António Lacerda Sales que falava na conferência de imprensa diária de balanço sobre a pandemia de covid-19 em Portugal, ao lado da diretora-geral da Saúde, Graça Freitas. O secretário de Estado da Saúde fez ainda um balanço da testagem que tem vindo a ser realizada, apontando que “desde 01 de março foram realizados mais de 796 mil testes de diagnóstico com 7% de amostras processadas positivas”. “E mantém-se o stock de testes em cerca de um milhão, o que garante uma estabilidade em matéria de testagem”, garantiu o governante. António Lacerda Sales referiu que na quinta-feira “foram feitas mais de 10.200 vigilâncias clínicas através da plataforma ‘Trace Covid’, o que representa “mais cerca de 200” face a quarta-feira. Atualmente, ainda de acordo com dados hoje referidos pelo secretário de Estado da Saúde, esta plataforma conta com 450 mil utentes seguidos por mais de 73 mil profissionais de saúde. Portugal contabiliza pelo menos 1.383 mortos associados à covid-19 em 31.946 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado na quinta-feira. Relativamente ao dia anterior, há mais 14 mortos (+1%) e mais 350 casos de infeção (+1,1%). O número de pessoas hospitalizadas subiu de 512 para 529, das quais 66 se encontram em unidades de cuidados intensivos (mais uma). O número de doentes recuperados é de 18.911. Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Covid-19: Governo afirma que terceira fase de desconfinamento exige responsabilidade de todos
O secretário de Estado da Saúde defendeu hoje que quando Portugal se prepara para entrar na terceira fase de desconfinamento devido à pandemia da covid-19 “a liberdade é diretamente proporcional à responsabilidade”. “Estamos prestes a entrar na terceira fase do desconfinamento, o que nos compromete ainda mais a todos. A nossa liberdade é diretamente proporcional à nossa responsabilidade”, disse António Lacerda Sales que falava na conferência de imprensa diária de balanço sobre a pandemia de covid-19 em Portugal, ao lado da diretora-geral da Saúde, Graça Freitas. O secretário de Estado da Saúde fez ainda um balanço da testagem que tem vindo a ser realizada, apontando que “desde 01 de março foram realizados mais de 796 mil testes de diagnóstico com 7% de amostras processadas positivas”. “E mantém-se o stock de testes em cerca de um milhão, o que garante uma estabilidade em matéria de testagem”, garantiu o governante. António Lacerda Sales referiu que na quinta-feira “foram feitas mais de 10.200 vigilâncias clínicas através da plataforma ‘Trace Covid’, o que representa “mais cerca de 200” face a quarta-feira. Atualmente, ainda de acordo com dados hoje referidos pelo secretário de Estado da Saúde, esta plataforma conta com 450 mil utentes seguidos por mais de 73 mil profissionais de saúde. Portugal contabiliza pelo menos 1.383 mortos associados à covid-19 em 31.946 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado na quinta-feira. Relativamente ao dia anterior, há mais 14 mortos (+1%) e mais 350 casos de infeção (+1,1%). O número de pessoas hospitalizadas subiu de 512 para 529, das quais 66 se encontram em unidades de cuidados intensivos (mais uma). O número de doentes recuperados é de 18.911. Portugal entrou no dia 03 de maio em situação de calamidade devido à pandemia, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.