Covid-19: Governo vai avaliar necessidade de continuar a testar em massa população

O Governo da Madeira vai avaliar esta semana a necessidade de continuar a testar massivamente a população a cada semana, depois de as autoridades de saúde perspetivarem uma estabilização do número de casos, disse hoje o secretário do setor. “Vamos ver se há necessidade de continuar com testagem massiva [da população]. Vai ser analisada na próxima semana”, numa reunião entre o Governo Regional e os responsáveis da área da saúde da Madeira, anunciou Pedro Ramos no Porto Santo, ilha onde hoje teve início a campanha de vacinação de crianças entre os 5 e os 11 anos. Questionado sobre a revisão das medidas de combate à pandemia da covid-19 no arquipélago, o governante recordou que a deliberação do executivo madeirense está em vigor até 15 de janeiro e que serão avaliadas “quais as recomendações para a próxima quinzena”. “A unidade de emergência de saúde pública confidenciou que não se prevê muito mais aumento [de casos de infeção por SARS-CoV-2]. Vamos ter alguma estabilidade”, afirmou o responsável. Pedro Ramos argumentou que a região mantém cerca de “um milhar de casos por dia, quando chegou ao fim da primeira semana após as comemorações da passagem do ano”. Entre as medidas a analisar, indicou a necessidade de continuar a testar semanalmente a população, visto que 87% dos residentes já têm vacinação completa e 89% iniciou o processo de inoculação. “A [variante] Ómicron tem sido responsável por esta disseminação rápida e fácil de toda população, mas sem grande gravidade”, sublinhou. O secretário destacou que a Madeira continua “com capacidade hospitalar disponível”, dispondo de 150 camas relacionadas em áreas dedicadas à covid-19, das quais 15 nos cuidados intensivos, que pode ser aumentada em serviços polivalentes em caso de necessidade. “Neste momento não há muita pressão”, disse, sublinhando que o aumento de casos não corresponde ao acréscimo da gravidade da doença. Fazendo um ponto da situação epidemiológica na Madeira, Pedro Ramos enunciou que a região tem confirmados 31.099 casos, mais de 10 mil situações ativas, 21.238 recuperados, 88 hospitalizados (quatro na unidade de cuidados intensivos) e 140 óbitos associados à doença. Também mencionou que existem 144 infetados na área da Educação, “a maioria alunos”, visto que a comunidade docente e não docente “está toda vacinada”, insistindo na importância da vacinação como forma de proteção contra a doença.   Por isso, sustentou que “o Governo Regional não está arrependido de não ter adiado a abertura das escolas” em 03 de janeiro, ao contrário do que aconteceu no restante território nacional, onde as aulas são retomadas na segunda-feira. Sobre o processo de vacinação de crianças, realçou que, até 02 de janeiro, tinham sido inoculadas 3.095, o que representa “25% da população elegível" (superior a 14 mil). Pedro Ramos apontou que na região foram já administraras 64.086 terceiras doses da vacina, o que correspondente a 25% da população da região, estimada na ordem dos 252 mil residentes. Quanto ao processo de vacinação de crianças que começou hoje na ilha do Porto Santo, realçou que foram inoculadas 80 utentes, dos cerca de 300 residentes na faixa etária entre os 5 e os 11 anos O relatório sobre a situação epidemiológica na Madeira divulgado pela Direção Regional de Saúde informa que foi hoje reportada mais uma morte e 1.260 novos casos de covid-19, estando identificadas 10.228 situações ativas e 703 doentes recuperados.

Covid-19: Governo vai avaliar necessidade de continuar a testar em massa população
O Governo da Madeira vai avaliar esta semana a necessidade de continuar a testar massivamente a população a cada semana, depois de as autoridades de saúde perspetivarem uma estabilização do número de casos, disse hoje o secretário do setor. “Vamos ver se há necessidade de continuar com testagem massiva [da população]. Vai ser analisada na próxima semana”, numa reunião entre o Governo Regional e os responsáveis da área da saúde da Madeira, anunciou Pedro Ramos no Porto Santo, ilha onde hoje teve início a campanha de vacinação de crianças entre os 5 e os 11 anos. Questionado sobre a revisão das medidas de combate à pandemia da covid-19 no arquipélago, o governante recordou que a deliberação do executivo madeirense está em vigor até 15 de janeiro e que serão avaliadas “quais as recomendações para a próxima quinzena”. “A unidade de emergência de saúde pública confidenciou que não se prevê muito mais aumento [de casos de infeção por SARS-CoV-2]. Vamos ter alguma estabilidade”, afirmou o responsável. Pedro Ramos argumentou que a região mantém cerca de “um milhar de casos por dia, quando chegou ao fim da primeira semana após as comemorações da passagem do ano”. Entre as medidas a analisar, indicou a necessidade de continuar a testar semanalmente a população, visto que 87% dos residentes já têm vacinação completa e 89% iniciou o processo de inoculação. “A [variante] Ómicron tem sido responsável por esta disseminação rápida e fácil de toda população, mas sem grande gravidade”, sublinhou. O secretário destacou que a Madeira continua “com capacidade hospitalar disponível”, dispondo de 150 camas relacionadas em áreas dedicadas à covid-19, das quais 15 nos cuidados intensivos, que pode ser aumentada em serviços polivalentes em caso de necessidade. “Neste momento não há muita pressão”, disse, sublinhando que o aumento de casos não corresponde ao acréscimo da gravidade da doença. Fazendo um ponto da situação epidemiológica na Madeira, Pedro Ramos enunciou que a região tem confirmados 31.099 casos, mais de 10 mil situações ativas, 21.238 recuperados, 88 hospitalizados (quatro na unidade de cuidados intensivos) e 140 óbitos associados à doença. Também mencionou que existem 144 infetados na área da Educação, “a maioria alunos”, visto que a comunidade docente e não docente “está toda vacinada”, insistindo na importância da vacinação como forma de proteção contra a doença.   Por isso, sustentou que “o Governo Regional não está arrependido de não ter adiado a abertura das escolas” em 03 de janeiro, ao contrário do que aconteceu no restante território nacional, onde as aulas são retomadas na segunda-feira. Sobre o processo de vacinação de crianças, realçou que, até 02 de janeiro, tinham sido inoculadas 3.095, o que representa “25% da população elegível" (superior a 14 mil). Pedro Ramos apontou que na região foram já administraras 64.086 terceiras doses da vacina, o que correspondente a 25% da população da região, estimada na ordem dos 252 mil residentes. Quanto ao processo de vacinação de crianças que começou hoje na ilha do Porto Santo, realçou que foram inoculadas 80 utentes, dos cerca de 300 residentes na faixa etária entre os 5 e os 11 anos O relatório sobre a situação epidemiológica na Madeira divulgado pela Direção Regional de Saúde informa que foi hoje reportada mais uma morte e 1.260 novos casos de covid-19, estando identificadas 10.228 situações ativas e 703 doentes recuperados.