Covid-19: Marrocos prolonga suspensão de voos com 41 países , incluindo Portugal

As autoridades marroquinas prolongaram a suspensão dos voos com 41 países, sendo um destes Portugal, até 10 de junho, com o objetivo de prevenir mais contágios da covid-19 e a entrada de novas variantes do vírus. De acordo com fontes oficiais, estes países incluem, além de Portugal, Espanha, França, Itália, Bélgica, Alemanha, Suíça, Holanda, Reino Unido, Dinamarca, Egito, Argélia, Camarões, República Democrática do Congo, Guiné, Mali, Gana e Turquia, entre outros. Marrocos acrescentou que as medidas afetam também pessoas provenientes destes 41 países, mas que pretendem chegar a Marrocos através de outros territórios. Para evitar a propagação do novo coronavírus e das suas novas variantes, Marrocos fechou esporadicamente o seu espaço aéreo desde 19 de janeiro, e atualmente a sua companhia aérea Royal Air Maroc voa apenas para quatro países africanos (Mauritânia, Senegal, Costa do Marfim e Tunísia) e dois países da América do Norte (Estados Unidos e Canadá). Algumas companhias aéreas internacionais, no entanto, têm rotas aéreas abertas, tais como os Emirados Árabes Unidos, entre o Dubai e a cidade marroquina de Casablanca. Para além dos voos médicos e de carga, o Governo marroquino está a autorizar “viagens especiais” para retirar pessoas retidas no país magrebino, voos que são considerados de repatriamento. Marrocos conseguiu controlar a situação pandémica no país através da campanha de vacinação maciça, lançada em janeiro. Atualmente, mais de 4 milhões de cidadãos marroquinos foram vacinados com duas doses da vacina chinesa Sinopharm e com a AstraZeneca. O país do Magrebe registou, até agora, 513.016 infeções de covid-19 e 9.049 vítimas mortais. A pandemia de covid-19 já provocou, pelo menos, 3.244.598 mortos no mundo, resultantes de mais de 155,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Covid-19: Marrocos prolonga suspensão de voos com 41 países , incluindo Portugal
As autoridades marroquinas prolongaram a suspensão dos voos com 41 países, sendo um destes Portugal, até 10 de junho, com o objetivo de prevenir mais contágios da covid-19 e a entrada de novas variantes do vírus. De acordo com fontes oficiais, estes países incluem, além de Portugal, Espanha, França, Itália, Bélgica, Alemanha, Suíça, Holanda, Reino Unido, Dinamarca, Egito, Argélia, Camarões, República Democrática do Congo, Guiné, Mali, Gana e Turquia, entre outros. Marrocos acrescentou que as medidas afetam também pessoas provenientes destes 41 países, mas que pretendem chegar a Marrocos através de outros territórios. Para evitar a propagação do novo coronavírus e das suas novas variantes, Marrocos fechou esporadicamente o seu espaço aéreo desde 19 de janeiro, e atualmente a sua companhia aérea Royal Air Maroc voa apenas para quatro países africanos (Mauritânia, Senegal, Costa do Marfim e Tunísia) e dois países da América do Norte (Estados Unidos e Canadá). Algumas companhias aéreas internacionais, no entanto, têm rotas aéreas abertas, tais como os Emirados Árabes Unidos, entre o Dubai e a cidade marroquina de Casablanca. Para além dos voos médicos e de carga, o Governo marroquino está a autorizar “viagens especiais” para retirar pessoas retidas no país magrebino, voos que são considerados de repatriamento. Marrocos conseguiu controlar a situação pandémica no país através da campanha de vacinação maciça, lançada em janeiro. Atualmente, mais de 4 milhões de cidadãos marroquinos foram vacinados com duas doses da vacina chinesa Sinopharm e com a AstraZeneca. O país do Magrebe registou, até agora, 513.016 infeções de covid-19 e 9.049 vítimas mortais. A pandemia de covid-19 já provocou, pelo menos, 3.244.598 mortos no mundo, resultantes de mais de 155,1 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.