Covid-19: Messi garante estar ansioso por voltar à competição

O futebolista argentino Lionel Messi afirmou hoje que está “ansioso por voltar a competir” e terminar a época, admitindo que as condições atuais exigem muita adaptação por parte dos jogadores. “Não podemos pensar no que deixamos para trás esta época. É melhor olhar para o futuro, voltar à rotina diária dos treinos, ver os companheiros de equipa e jogar. Acredito que ao princípio será estranho, mas estou ansioso por voltar a competir de novo”, disse o extremo do FC Barcelona. Messi, que falava numa iniciativa de uma marca desportiva sobre o efeito da pandemia de covid-19 na mentalidade dos atletas, considerou que a “nova normalidade” traz muitos desafios ao futebol. “A preparação de grupo é a mesma, mas individualmente cada um de nós tem de preparar para jogar sem adeptos, o que é muito estranho”, disse. Messi poderá voltar à competição ao serviço do FC Barcelona, líder do campeonato espanhol, que recomeça em 08 de junho, e não da seleção argentina depois de a Copa América, que devia disputar-se entre 11 de junho e 11 de julho, ter sido adiada para 2021. A Liga espanhola está interrompida desde 12 de março, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus. Após 27 jornadas, o bicampeão FC Barcelona liderava a prova, com 68 pontos, mais dois do que o Real Madrid. Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas. Os campeonatos de futebol de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga marcado para 03 de junho. A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 350 mil mortos e infetou mais de 5,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Covid-19: Messi garante estar ansioso por voltar à competição
O futebolista argentino Lionel Messi afirmou hoje que está “ansioso por voltar a competir” e terminar a época, admitindo que as condições atuais exigem muita adaptação por parte dos jogadores. “Não podemos pensar no que deixamos para trás esta época. É melhor olhar para o futuro, voltar à rotina diária dos treinos, ver os companheiros de equipa e jogar. Acredito que ao princípio será estranho, mas estou ansioso por voltar a competir de novo”, disse o extremo do FC Barcelona. Messi, que falava numa iniciativa de uma marca desportiva sobre o efeito da pandemia de covid-19 na mentalidade dos atletas, considerou que a “nova normalidade” traz muitos desafios ao futebol. “A preparação de grupo é a mesma, mas individualmente cada um de nós tem de preparar para jogar sem adeptos, o que é muito estranho”, disse. Messi poderá voltar à competição ao serviço do FC Barcelona, líder do campeonato espanhol, que recomeça em 08 de junho, e não da seleção argentina depois de a Copa América, que devia disputar-se entre 11 de junho e 11 de julho, ter sido adiada para 2021. A Liga espanhola está interrompida desde 12 de março, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus. Após 27 jornadas, o bicampeão FC Barcelona liderava a prova, com 68 pontos, mais dois do que o Real Madrid. Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas. Os campeonatos de futebol de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga marcado para 03 de junho. A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 350 mil mortos e infetou mais de 5,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios.