Covid-19: Pai e filho aterraram na Madeira para ir a funeral e furaram quarentena

No passado dia 29 de março, dois cidadãos residentes na freguesia do Jardim da Serra, em Câmara de Lobos, pai e filho, aterraram no Aeroporto da Madeira vindos do Reino Unido para o funeral da esposa/mãe.  À chegada à Região, o delegado de Saúde do Município de Santa Cruz atestou uma declaração individual para os referidos cidadãos, para efeitos de isolamento profilático no domicílio, dado que os homens "não são casos suspeitos" e que, "pelo teor da vinda à Madeira", podiam cumprir a quarentena em casa, garantiu fonte ligada ao SESARAM. A declaração do delegado de Saúde, a que o JM teve acesso, autorizava igualmente igualmente pai e filho a "sair para efeitos relacionados com as cerimónias fúnebres" da esposa/mãe.  O SESARAM entendeu que "seria desumano não abrir uma exceção a este pai e a este filho" nesta situação e foi essa a decisão do delegado de Saúde de Santa Cruz. Porém, no dia seguinte a terem chegado à Madeira, pai e filho foram denunciados às autoridades por "se terem ausentado da residência". Os homens foram alvo de um auto de notícia elaborado pela PSP de Câmara de Lobos. O auto de notícia segue para o tribunal, que posteriormente vai determinar as correspondentes medidas de coação. Saiba tudo sobre este caso na edição impressa de hoje.  

Covid-19: Pai e filho aterraram na Madeira para ir a funeral e furaram quarentena
No passado dia 29 de março, dois cidadãos residentes na freguesia do Jardim da Serra, em Câmara de Lobos, pai e filho, aterraram no Aeroporto da Madeira vindos do Reino Unido para o funeral da esposa/mãe.  À chegada à Região, o delegado de Saúde do Município de Santa Cruz atestou uma declaração individual para os referidos cidadãos, para efeitos de isolamento profilático no domicílio, dado que os homens "não são casos suspeitos" e que, "pelo teor da vinda à Madeira", podiam cumprir a quarentena em casa, garantiu fonte ligada ao SESARAM. A declaração do delegado de Saúde, a que o JM teve acesso, autorizava igualmente igualmente pai e filho a "sair para efeitos relacionados com as cerimónias fúnebres" da esposa/mãe.  O SESARAM entendeu que "seria desumano não abrir uma exceção a este pai e a este filho" nesta situação e foi essa a decisão do delegado de Saúde de Santa Cruz. Porém, no dia seguinte a terem chegado à Madeira, pai e filho foram denunciados às autoridades por "se terem ausentado da residência". Os homens foram alvo de um auto de notícia elaborado pela PSP de Câmara de Lobos. O auto de notícia segue para o tribunal, que posteriormente vai determinar as correspondentes medidas de coação. Saiba tudo sobre este caso na edição impressa de hoje.