Covid-19: Quénia regista maior aumento de casos em 24 horas

O Quénia registou 123 casos do novo coronavírus em 24 horas, o maior aumento desde o início da pandemia, revelaram hoje as autoridades, justificando parcialmente a subida com a intensificação dos testes. Pela primeira vez, foram notificados mais de 100 casos num único dia. Os novos casos foram registados principalmente na capital, Nairobi (85), e em Mombaça (24), a segunda maior cidade da costa oriental do país, elevando para 1.471 os casos acumulados de covid-19 no Quénia. "Os números ilustram a rápida taxa de transmissão nos bairros de lata de Nairobi. Isto mostra que existe um grande número de infeções nestas áreas", afirmou o ministro da Saúde, Mutahi Kagwe, em declarações à imprensa. O número de casos duplicou desde meados de maio, em parte devido a um aumento do número de testes durante o mesmo período. O Quénia realiza atualmente quase 3.000 testes diários, em comparação com menos de 1.000 na primeira metade do mês. "Temos notado que muitas pessoas voltaram aos seus velhos hábitos, não respeitando as regras do distanciamento social ou as relativas ao uso de máscaras", alertou, por outro lado, o ministro. "Por favor, permitam-me que vos recorde a necessidade de se protegerem", acrescentou. Com três novas mortes devido à covid-19 em 24 horas, o Quénia registou 55 óbitos desde que o primeiro caso foi comunicado a 13 de março e total de 408 recuperações. O Governo queniano não impôs o confinamento total, mas reforçou gradualmente as medidas destinadas a prevenir a propagação do vírus. No final de março, decretou o recolher obrigatório em todo o país das 19:00 horas às 05:00, que foi prorrogado até 06 de junho, e suspendeu todos os voos internacionais. Em abril, proibiu a entrada ou saída de pessoas da área metropolitana de Nairobi e dos condados de Mombaça, Kilifi, Kwale e Mandera. No início de maio, proibiu as entradas e saídas de Eastleigh, um bairro predominantemente somali em Nairobi, e da cidade velha de Mombaça. O número de mortos em África pela covid-19 aumentou para 3.589 nas últimas 24 horas, mais 118, em mais de 119 mil casos de infeção em 54 países. Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de mortos subiu nas últimas 24 horas de 3.471 para 3.589 (+118), enquanto os casos de infeção aumentaram de 115.346 para 119.391 (+4.045). O número total de doentes recuperados subiu de 46.426 para 48.618 (+2.192). A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 350 mil mortos e infetou mais de 5,6 milhões de pessoas. Cerca de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Covid-19: Quénia regista maior aumento de casos em 24 horas
O Quénia registou 123 casos do novo coronavírus em 24 horas, o maior aumento desde o início da pandemia, revelaram hoje as autoridades, justificando parcialmente a subida com a intensificação dos testes. Pela primeira vez, foram notificados mais de 100 casos num único dia. Os novos casos foram registados principalmente na capital, Nairobi (85), e em Mombaça (24), a segunda maior cidade da costa oriental do país, elevando para 1.471 os casos acumulados de covid-19 no Quénia. "Os números ilustram a rápida taxa de transmissão nos bairros de lata de Nairobi. Isto mostra que existe um grande número de infeções nestas áreas", afirmou o ministro da Saúde, Mutahi Kagwe, em declarações à imprensa. O número de casos duplicou desde meados de maio, em parte devido a um aumento do número de testes durante o mesmo período. O Quénia realiza atualmente quase 3.000 testes diários, em comparação com menos de 1.000 na primeira metade do mês. "Temos notado que muitas pessoas voltaram aos seus velhos hábitos, não respeitando as regras do distanciamento social ou as relativas ao uso de máscaras", alertou, por outro lado, o ministro. "Por favor, permitam-me que vos recorde a necessidade de se protegerem", acrescentou. Com três novas mortes devido à covid-19 em 24 horas, o Quénia registou 55 óbitos desde que o primeiro caso foi comunicado a 13 de março e total de 408 recuperações. O Governo queniano não impôs o confinamento total, mas reforçou gradualmente as medidas destinadas a prevenir a propagação do vírus. No final de março, decretou o recolher obrigatório em todo o país das 19:00 horas às 05:00, que foi prorrogado até 06 de junho, e suspendeu todos os voos internacionais. Em abril, proibiu a entrada ou saída de pessoas da área metropolitana de Nairobi e dos condados de Mombaça, Kilifi, Kwale e Mandera. No início de maio, proibiu as entradas e saídas de Eastleigh, um bairro predominantemente somali em Nairobi, e da cidade velha de Mombaça. O número de mortos em África pela covid-19 aumentou para 3.589 nas últimas 24 horas, mais 118, em mais de 119 mil casos de infeção em 54 países. Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de mortos subiu nas últimas 24 horas de 3.471 para 3.589 (+118), enquanto os casos de infeção aumentaram de 115.346 para 119.391 (+4.045). O número total de doentes recuperados subiu de 46.426 para 48.618 (+2.192). A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 350 mil mortos e infetou mais de 5,6 milhões de pessoas. Cerca de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.