Covid-19: Reino Unido regista mais 14.162 casos e 70 mortes

O Reino Unido registou 14.162 novos casos de infeção e 70 mortes relacionadas com a covid-19 nas últimas 24 horas, informou hoje o ministério da Saúde britânico, confirmando a tendência de aumento exponencial. Na terça-feira tinham sido registados 14.542 novos casos e 76 mortes. O total acumulado desde o início da pandemia de covid-19 no Reino Unido é agora de 544.275 de casos de infeção confirmados e de 42.515 óbitos num período de 28 dias após um teste positivo.   Pela primeira vez, o quadro de informação atualizado diariamente indica um conjunto de 57.347 mortes, que inclui o balanço oficial e aquelas cuja certidão de óbito faz referência ao coronavírus mas cuja infeção não foi confirmada por teste.  O aumento significativo de casos de infeção nas últimas semanas está também a refletir-se num acréscimo de hospitalizações.  De acordo com o quadro de informação atualizada pelas autoridades de saúde, em Inglaterra estão internados 2.944 pacientes com covid-19, mais 50% do que há uma semana, dos quais 376 ligados a um ventilador.  O Governo tem estado a tentar combater surtos localizados com restrições mais apertadas, sobretudo no norte de Inglaterra, mas está sob pressão para flexibilizar a aplicação de algumas das medidas. Os líderes de Manchester, Liverpool, Newcastle e Leeds escreveram ao ministro da Saúde, Matt Hancock, alegando que o encerramento antecipado dos bares e restaurantes às 22:00 é “contraprodutivo” e queixam-se do impacto económico da estratégia.  Pelo contrário, na Escócia, a chefe do governo autónomo, Nicola Sturgeon, decretou que, a partir de sexta-feira e durante 16 dias, bares e restaurantes não podem vender bebidas alcoólicas no interior e, em certas áreas com taxas de infeção mais altas, só vão poder vender para fora (takeaway).   A “ação curta e brusca para travar o aumento preocupante das infecções” visa ajudar a manter escolas e outros setores económicos abertos, justificou. A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e cinquenta e um mil mortos e mais de 35,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Covid-19: Reino Unido regista mais 14.162 casos e 70 mortes
O Reino Unido registou 14.162 novos casos de infeção e 70 mortes relacionadas com a covid-19 nas últimas 24 horas, informou hoje o ministério da Saúde britânico, confirmando a tendência de aumento exponencial. Na terça-feira tinham sido registados 14.542 novos casos e 76 mortes. O total acumulado desde o início da pandemia de covid-19 no Reino Unido é agora de 544.275 de casos de infeção confirmados e de 42.515 óbitos num período de 28 dias após um teste positivo.   Pela primeira vez, o quadro de informação atualizado diariamente indica um conjunto de 57.347 mortes, que inclui o balanço oficial e aquelas cuja certidão de óbito faz referência ao coronavírus mas cuja infeção não foi confirmada por teste.  O aumento significativo de casos de infeção nas últimas semanas está também a refletir-se num acréscimo de hospitalizações.  De acordo com o quadro de informação atualizada pelas autoridades de saúde, em Inglaterra estão internados 2.944 pacientes com covid-19, mais 50% do que há uma semana, dos quais 376 ligados a um ventilador.  O Governo tem estado a tentar combater surtos localizados com restrições mais apertadas, sobretudo no norte de Inglaterra, mas está sob pressão para flexibilizar a aplicação de algumas das medidas. Os líderes de Manchester, Liverpool, Newcastle e Leeds escreveram ao ministro da Saúde, Matt Hancock, alegando que o encerramento antecipado dos bares e restaurantes às 22:00 é “contraprodutivo” e queixam-se do impacto económico da estratégia.  Pelo contrário, na Escócia, a chefe do governo autónomo, Nicola Sturgeon, decretou que, a partir de sexta-feira e durante 16 dias, bares e restaurantes não podem vender bebidas alcoólicas no interior e, em certas áreas com taxas de infeção mais altas, só vão poder vender para fora (takeaway).   A “ação curta e brusca para travar o aumento preocupante das infecções” visa ajudar a manter escolas e outros setores económicos abertos, justificou. A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e cinquenta e um mil mortos e mais de 35,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.