CR7: Sindicato lamenta entraves colocados pela PSP aos jornalistas

A direção regional do Sindicato dos Jornalistas lamentou hoje os entraves colocados pela PSP, aos profissionais da comunicação social, na cobertura da partida de Cristiano Ronaldo para Itália, considerando que esta foi mais uma situação de obstrução ao trabalho dos jornalistas que deve ser denunciada. Em comunicado, a estrutura sindical lamenta a atitude da PSP "ao impedir o trabalho dos jornalistas, repórteres fotográficos e operadores de câmara que se deslocaram ao Aeroporto Internacional da Madeira para acompanhar a partida do jogador madeirense". "Usando todas as artimanhas ao seu alcance, o jogador fintou os jornalistas [até compreensível se fosse noutro lugar qualquer que não a sua terra natal] para conseguir entrar na zona VIP do Aeroporto sem que se conseguisse captar imagens. Mas se a atitude de Cristiano Ronaldo ainda se aceita, tendo em conta a pressão que o mesmo é alvo no seu dia-a-dia, incompreensível e até de lamentar, foi a atitude dos agentes da PSP, que impediram o trabalho dos jornalistas, os quais ficaram condicionados na obtenção de imagens de uma figura que, quer se queira, quer não, é pública e aguça o interesse jornalístico, dos leitores e do público em geral", diz o comunicado. O sindicato entende que "este e outros vários atentados à atividade jornalística da Região têm de ser, constantemente, denunciados". "Não podemos continuar a permitir que o trabalho da comunicação social seja impedido", sublinha a entidade sindical que represente os jornalistas na Região Autónoma da Madeira.

CR7: Sindicato lamenta entraves colocados pela PSP aos jornalistas
A direção regional do Sindicato dos Jornalistas lamentou hoje os entraves colocados pela PSP, aos profissionais da comunicação social, na cobertura da partida de Cristiano Ronaldo para Itália, considerando que esta foi mais uma situação de obstrução ao trabalho dos jornalistas que deve ser denunciada. Em comunicado, a estrutura sindical lamenta a atitude da PSP "ao impedir o trabalho dos jornalistas, repórteres fotográficos e operadores de câmara que se deslocaram ao Aeroporto Internacional da Madeira para acompanhar a partida do jogador madeirense". "Usando todas as artimanhas ao seu alcance, o jogador fintou os jornalistas [até compreensível se fosse noutro lugar qualquer que não a sua terra natal] para conseguir entrar na zona VIP do Aeroporto sem que se conseguisse captar imagens. Mas se a atitude de Cristiano Ronaldo ainda se aceita, tendo em conta a pressão que o mesmo é alvo no seu dia-a-dia, incompreensível e até de lamentar, foi a atitude dos agentes da PSP, que impediram o trabalho dos jornalistas, os quais ficaram condicionados na obtenção de imagens de uma figura que, quer se queira, quer não, é pública e aguça o interesse jornalístico, dos leitores e do público em geral", diz o comunicado. O sindicato entende que "este e outros vários atentados à atividade jornalística da Região têm de ser, constantemente, denunciados". "Não podemos continuar a permitir que o trabalho da comunicação social seja impedido", sublinha a entidade sindical que represente os jornalistas na Região Autónoma da Madeira.