CTT querem aumentar para “nível alto” quota de mercado da operação em Espanha

Os CTT ambicionam aumentar para “um nível alto” a quota de mercado da sua operação em Espanha e para “um nível médio a alto” a margem de eficiência operacional, tornando-se “a empresa de referência para os envios ibéricos”. Num comunicado enviado esta madrugada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), na sequência de uma reunião realizada na quinta-feira com analistas e investidores em Madrid sobre a sua operação de Expresso e Encomendas no mercado espanhol, os CTT – Correios de Portugal apontam como objetivo “aumentar a sua quota de mercado em Espanha para um nível alto, de um só dígito (‘high single digit’)” e “aumentar a margem EBIT para um nível médio a alto, de um só dígito (‘mid-to-high single digit’)”. As metas dos CTT no mercado espanhol passam por “crescer no mercado B2C [‘Business to Consumer’] através de uma rede de distribuição mais eficiente, baseada em operação própria”, assim como por “capturar quota de mercado no B2B [‘Business to Business’], superando os concorrentes através de um modelo de negócio mais competitivo, nomeadamente na sua relação com as franquias””. Ainda assumida é a ambição de se tornar “a empresa de referência para os envios ibéricos”. Ao nível da rentabilidade, os objetivos dos CTT são “ganhar escala para permitir a diluição dos custos de estrutura e melhorar a alavancagem operacional, melhorar a dinâmica de preços e implementar um conjunto de projetos ibéricos para aumentar a produtividade”. “Os CTT vão continuar com o desenvolvimento da sua operação de Expresso e Encomendas em Espanha, promovendo a diversificação da base de clientes para pequenas contas B2B mais rentáveis e reduzindo os custos operacionais, por forma a melhorar a rentabilidade e, em simultâneo, continuar a ganhar quota de mercado junto dos clientes B2C”, sustenta a empresa portuguesa no comunicado. Segundo salienta, “para os CTT, uma presença ibérica através de uma plataforma líder é fundamental para promover a competitividade da sua oferta, quer em Portugal, quer em Espanha”. “Ser o líder de mercado e ter a rede Expresso e Encomendas mais capilar em Portugal permite aos CTT Express em Espanha ser o operador mais preparado para gerir fluxos ibéricos, o que, por sua vez, permite consolidar ainda mais a posição de liderança dos CTT em Portugal”, afirma. Na reunião de quinta-feira com analistas e investidores, os CTT referiram ainda as várias medidas implementadas desde 2019 na sua operação em Espanha, nomeadamente a constituição de uma nova equipa de gestão, o ‘rebranding’ da marca naquele país e a alteração de um modelo operacional suportado numa rede de franquias para um modelo operacional próprio. Ainda mencionados foram “o investimento feito em automoção e ‘software’ com vista ao aumento da capacidade disponível e a melhoria da qualidade de serviço e captura de grandes ‘e-tailers’ [retalhistas ‘online’], permitindo ganhos de escala”.

CTT querem aumentar para “nível alto” quota de mercado da operação em Espanha
Os CTT ambicionam aumentar para “um nível alto” a quota de mercado da sua operação em Espanha e para “um nível médio a alto” a margem de eficiência operacional, tornando-se “a empresa de referência para os envios ibéricos”. Num comunicado enviado esta madrugada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), na sequência de uma reunião realizada na quinta-feira com analistas e investidores em Madrid sobre a sua operação de Expresso e Encomendas no mercado espanhol, os CTT – Correios de Portugal apontam como objetivo “aumentar a sua quota de mercado em Espanha para um nível alto, de um só dígito (‘high single digit’)” e “aumentar a margem EBIT para um nível médio a alto, de um só dígito (‘mid-to-high single digit’)”. As metas dos CTT no mercado espanhol passam por “crescer no mercado B2C [‘Business to Consumer’] através de uma rede de distribuição mais eficiente, baseada em operação própria”, assim como por “capturar quota de mercado no B2B [‘Business to Business’], superando os concorrentes através de um modelo de negócio mais competitivo, nomeadamente na sua relação com as franquias””. Ainda assumida é a ambição de se tornar “a empresa de referência para os envios ibéricos”. Ao nível da rentabilidade, os objetivos dos CTT são “ganhar escala para permitir a diluição dos custos de estrutura e melhorar a alavancagem operacional, melhorar a dinâmica de preços e implementar um conjunto de projetos ibéricos para aumentar a produtividade”. “Os CTT vão continuar com o desenvolvimento da sua operação de Expresso e Encomendas em Espanha, promovendo a diversificação da base de clientes para pequenas contas B2B mais rentáveis e reduzindo os custos operacionais, por forma a melhorar a rentabilidade e, em simultâneo, continuar a ganhar quota de mercado junto dos clientes B2C”, sustenta a empresa portuguesa no comunicado. Segundo salienta, “para os CTT, uma presença ibérica através de uma plataforma líder é fundamental para promover a competitividade da sua oferta, quer em Portugal, quer em Espanha”. “Ser o líder de mercado e ter a rede Expresso e Encomendas mais capilar em Portugal permite aos CTT Express em Espanha ser o operador mais preparado para gerir fluxos ibéricos, o que, por sua vez, permite consolidar ainda mais a posição de liderança dos CTT em Portugal”, afirma. Na reunião de quinta-feira com analistas e investidores, os CTT referiram ainda as várias medidas implementadas desde 2019 na sua operação em Espanha, nomeadamente a constituição de uma nova equipa de gestão, o ‘rebranding’ da marca naquele país e a alteração de um modelo operacional suportado numa rede de franquias para um modelo operacional próprio. Ainda mencionados foram “o investimento feito em automoção e ‘software’ com vista ao aumento da capacidade disponível e a melhoria da qualidade de serviço e captura de grandes ‘e-tailers’ [retalhistas ‘online’], permitindo ganhos de escala”.