D. Armando Esteves Domingues nomeado bispo de Angra

O Papa nomeou hoje D. Armando Esteves Domingues, de 65 anos, como 40.º bispo da Diocese de Angra, que se encontrava em sede vacante, informou a sala de imprensa da Santa Sé. “Quero saudar os Açores, nas suas nove ilhas, com toda a sua cultura, património e tradições. Angra já é, para mim, a diocese mais bela do mundo”, refere o responsável, até agora bispo auxiliar do Porto, num depoimento enviado à Agência ECCLESIA. “Vai ser tempo para nos conheceremos e darmos a conhecer, porque não se caminha com quem não se conhece. Não levo, por isso, plano preconcebido, nem soluções mágicas, mas procurarei inserir-me no caminho que a diocese está a fazer. O Espírito Santo nos dirá os caminhos a seguir”, acrescenta. O novo bispo de Angra deixa palavras de “saudação, agradecimento e esperança”, dirigindo-se à população açoriana. “Já são a minha gente, a minha família. Quero saudar todo o povo de Deus, que caminha nesta diocese, com os seus padres, religiosos, consagrados e leigos, paróquias e demais comunidades eclesiais”, refere, dirigindo-se ainda ao anterior bispo diocesano, D. João Lavrador, ao administrador diocese, cónego Hélder Fonseca Mendes, bem como às autoridades regionais e autárquicas. A mensagem deixa uma saudação a “todas as famílias, doentes, crianças, jovens, sobretudo os mais frágeis”, antes de se dirigir aos responsáveis pela Dioceses do Porto, onde trabalhou nos últimos anos. D. Armando Esteves Domingues nasceu a 10 de março de 1957 em Oleiros, Diocese de Portalegre-Castelo Branco; em outubro de 1967 entrou no Seminário Menor de Viseu, em Fornos de Algodres, tendo concluído os estudos no Seminário Maior de Viseu em 1980. De junho de 1980 a outubro de 1981 fez um ano de experiência pastoral junto do Centro Mundial de espiritualidade e de teologia do Movimento dos Focolares, em Grottaferrata (Itália), com especial foco na pastoral juvenil e vocacional. Foi ordenado padre 13 de janeiro de 1982, na Diocese de Viseu, onde desempenhou funções como pároco, professor de EMRC, assistente regional do Corpo Nacional de Escutas, do Movimento de Educadores Católicos e do Movimento Equipas de Nossa Senhora. O novo bispo de Angra foi ainda capelão militar da Força Aérea Portuguesa e esteve ligado a várias iniciativas ligadas à inclusão social, ao combate ao desemprego, à recuperação de dependências e à habitação. Em Viseu, integrou vários organismos diocesanos, tendo sido ecónomo e vigário-geral, antes da sua nomeação episcopal, a 27 de outubro de 2018 como auxiliar da Diocese do Porto; foi ordenado bispo a 16 de dezembro de 2018, na Catedral de Viseu. Na Conferência Episcopal Portuguesa, D. Armando Esteves Domingues preside à Comissão Missão e Nova Evangelização. Oitavo de onze irmãos, o responsável católico conta com formação em áreas como a pastoral juvenil, a espiritualidade e a pastoral familiar, com especial incidência na preparação de noivos para o matrimónio. A Diocese de Angra encontrava-se em sede vacante desde saída de D. João Lavrador, a 21 de setembro de 2021, que foi nomeado pelo Papa como bispo da Diocese de Viana do Castelo. Criada há em novembro de 1534 pelo Papa Paulo III, através da Bula ‘Aequum Reputamus’, possui 59 centros sociais canonicamente eretos, 47 confrarias e 23 misericórdias. “A expressão da dimensão da religiosidade popular manifesta-se no número de Irmandades do Divino Espírito Santo que as nove ilhas têm- 254”, destaca o portal ‘Igreja Açores’.

D. Armando Esteves Domingues nomeado bispo de Angra
O Papa nomeou hoje D. Armando Esteves Domingues, de 65 anos, como 40.º bispo da Diocese de Angra, que se encontrava em sede vacante, informou a sala de imprensa da Santa Sé. “Quero saudar os Açores, nas suas nove ilhas, com toda a sua cultura, património e tradições. Angra já é, para mim, a diocese mais bela do mundo”, refere o responsável, até agora bispo auxiliar do Porto, num depoimento enviado à Agência ECCLESIA. “Vai ser tempo para nos conheceremos e darmos a conhecer, porque não se caminha com quem não se conhece. Não levo, por isso, plano preconcebido, nem soluções mágicas, mas procurarei inserir-me no caminho que a diocese está a fazer. O Espírito Santo nos dirá os caminhos a seguir”, acrescenta. O novo bispo de Angra deixa palavras de “saudação, agradecimento e esperança”, dirigindo-se à população açoriana. “Já são a minha gente, a minha família. Quero saudar todo o povo de Deus, que caminha nesta diocese, com os seus padres, religiosos, consagrados e leigos, paróquias e demais comunidades eclesiais”, refere, dirigindo-se ainda ao anterior bispo diocesano, D. João Lavrador, ao administrador diocese, cónego Hélder Fonseca Mendes, bem como às autoridades regionais e autárquicas. A mensagem deixa uma saudação a “todas as famílias, doentes, crianças, jovens, sobretudo os mais frágeis”, antes de se dirigir aos responsáveis pela Dioceses do Porto, onde trabalhou nos últimos anos. D. Armando Esteves Domingues nasceu a 10 de março de 1957 em Oleiros, Diocese de Portalegre-Castelo Branco; em outubro de 1967 entrou no Seminário Menor de Viseu, em Fornos de Algodres, tendo concluído os estudos no Seminário Maior de Viseu em 1980. De junho de 1980 a outubro de 1981 fez um ano de experiência pastoral junto do Centro Mundial de espiritualidade e de teologia do Movimento dos Focolares, em Grottaferrata (Itália), com especial foco na pastoral juvenil e vocacional. Foi ordenado padre 13 de janeiro de 1982, na Diocese de Viseu, onde desempenhou funções como pároco, professor de EMRC, assistente regional do Corpo Nacional de Escutas, do Movimento de Educadores Católicos e do Movimento Equipas de Nossa Senhora. O novo bispo de Angra foi ainda capelão militar da Força Aérea Portuguesa e esteve ligado a várias iniciativas ligadas à inclusão social, ao combate ao desemprego, à recuperação de dependências e à habitação. Em Viseu, integrou vários organismos diocesanos, tendo sido ecónomo e vigário-geral, antes da sua nomeação episcopal, a 27 de outubro de 2018 como auxiliar da Diocese do Porto; foi ordenado bispo a 16 de dezembro de 2018, na Catedral de Viseu. Na Conferência Episcopal Portuguesa, D. Armando Esteves Domingues preside à Comissão Missão e Nova Evangelização. Oitavo de onze irmãos, o responsável católico conta com formação em áreas como a pastoral juvenil, a espiritualidade e a pastoral familiar, com especial incidência na preparação de noivos para o matrimónio. A Diocese de Angra encontrava-se em sede vacante desde saída de D. João Lavrador, a 21 de setembro de 2021, que foi nomeado pelo Papa como bispo da Diocese de Viana do Castelo. Criada há em novembro de 1534 pelo Papa Paulo III, através da Bula ‘Aequum Reputamus’, possui 59 centros sociais canonicamente eretos, 47 confrarias e 23 misericórdias. “A expressão da dimensão da religiosidade popular manifesta-se no número de Irmandades do Divino Espírito Santo que as nove ilhas têm- 254”, destaca o portal ‘Igreja Açores’.