Dívida nos contratos de crédito à habitação na Região é superior à media nacional

Em outubro de 2019, a taxa de juro implícita no crédito à habitação, na Região Autónoma da Madeira (RAM), fixou-se em 0,990%, registando um decréscimo de 0,027 pontos percentuais (p.p.) face ao mês anterior (1,017%). Depois de em julho de 2019...

Dívida nos contratos de crédito à habitação na Região é superior à media nacional
Em outubro de 2019, a taxa de juro implícita no crédito à habitação, na Região Autónoma da Madeira (RAM), fixou-se em 0,990%, registando um decréscimo de 0,027 pontos percentuais (p.p.) face ao mês anterior (1,017%). Depois de em julho de 2019 esta taxa ter atingido o valor mais elevado dos últimos três anos, a referida variável desceu pelo terceiro mês consecutivo. De sublinhar que em outubro de 2018, a taxa de juro implícita no crédito à habitação era de 1,001%, de acordo com os dados divulgados pela Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM). O valor médio da prestação vencida para o conjunto dos contratos de crédito à habitação manteve-se nos 271 euros, tendo os juros se fixado nos 48 euros (menos 1€ que no mês anterior) e a amortização nos 223 euros (mais 1€ que no mês anterior). Em outubro de 2018, o valor médio da prestação vencida era de 269 euros. O montante do capital médio em dívida para os contratos de crédito à habitação diminuiu para 57 839 euros (57 934 euros em setembro de 2019), sendo que um ano antes era de 58 181 euros. A nível nacional, e no conjunto dos contratos de crédito à habitação, a taxa de juro implícita situou-se em 1,038%, menos 0,027 p.p. que no mês anterior. A prestação média vencida para a globalidade dos contratos baixou para os 246 euros, tendo o valor do capital médio em dívida aumentado para os 53 231 euros (53 213 euros no mês precedente), mantendo-se assim a tendência de subida que se verifica desde março deste ano.