Dois anos de prisão para madeirense que aliciou menor em Jersey

Um madeirense de 25 anos foi ontem condenado a dois anos e seis meses de prisão por ter enviado indecentes ou obscenas a menores com o intuito de obter gratificação sexual, em Jersey. Durante os próximos seis anos, Miguel Ângelo Pereira Freitas...

Dois anos de prisão para madeirense que aliciou menor em Jersey
Um madeirense de 25 anos foi ontem condenado a dois anos e seis meses de prisão por ter enviado indecentes ou obscenas a menores com o intuito de obter gratificação sexual, em Jersey. Durante os próximos seis anos, Miguel Ângelo Pereira Freitas estará incluído num registo de agressores sexuais e terá uma ordem de restrição contra menores. Será deportado para a Madeira, após sentença. Em 2017, Miguel Pereira mudou-se da Madeira para Jersey, segundo divulgado por uma página de Facebook dedicada à exposição de agressores sexuais, a 'Unknown Jersey'. Em outubro do ano passado, iniciou conversações virtuais com o que ele acreditava ser uma menina de 13 anos, tratando-se, no entanto, de um perfil falso criado para apanhar predadores sexuais. O madeirense foi, posteriormente, preso no seu local de trabalho. Não obstante, no início do passado fevereiro e enquanto se encontrava sob fiança, Miguel enviou mensagens obscenas e imagens indecentes de si próprio a uma menina de 12 anos com o intuito de obter gratificação sexual.  Enquanto isso, foi preso em estado embriagado, após ter ameaçado a sua namorada grávida e entrado em confronto com a polícia. A sentença baseou-se no alto risco de reincidência que Miguel apresenta para o público e para o próprio filho. Segundo a 'Unknown Jersey', este é um caso marcante e primeiro deste tipo, tendo a condenação sido aplicada com base uma nova lei de crimes sexuais de 2018.