Dois militares norte-americanos mortos no Afeganistão

Dois soldados norte-americanos, que integram a coligação internacional, foram hoje mortos no Afeganistão, anunciou o Pentágono. "Dois militares dos Estados Unidos foram mortos em 29 de julho de 2019 no Afeganistão", lê-se no comunicado de imprensa...

Dois militares norte-americanos mortos no Afeganistão
Dois soldados norte-americanos, que integram a coligação internacional, foram hoje mortos no Afeganistão, anunciou o Pentágono. "Dois militares dos Estados Unidos foram mortos em 29 de julho de 2019 no Afeganistão", lê-se no comunicado de imprensa divulgado pelo Departamento de Defesa norte-americano. Os dois militares, cuja identidade não foi revelada, foram mortos em combate, adianta o comunicado, sem dar mais pormenores. Esta notícia ocorre no mesmo dia em que o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse ver "progressos" neste conflito que dura há já 19 anos e reconheceu que a Casa Branca deseja que as tropas norte-americanas abandonem o Afeganistão antes de 2020. "Essas são as minhas instruções por parte do Presidente dos Estados Unidos. Não deixou espaço à ambiguidade: acabem com as guerras sem fim, comecem a retirada", disse Pompeo em referência ao desejo de Donald Trump expressado há algum tempo, de por fim à presença das tropas norte-americanas no Afeganistão. Segundo os últimos números divulgados pelo Pentágono, Washington mantém cerca de 14.000 militares no Afeganistão. A maioria destas tropas estão integradas na coligação internacional liderada pelos Estados Unidos no Afeganistão, composta por mais de 60 países, que combatem o terrorismo na operação “Resolute Support” (Apoio Decidido), que conta com a aprovação de uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas. O Pentágono também tem destacadas outras tropas que executam de maneira independente a Operation Freedom's Sentinel. Neste conflito que começou em finais de 2001, já morreram 2.400 norte-americanos.