Eleições/Madeira: PTP quer mais deputados para lutar contra “hegemonia” dos grupos económicos

A cabeça de lista do PTP às eleições legislativas da Madeira, Raquel Coelho, quer "manter e reforçar" a representação parlamentar e estabelece como prioridade lutar contra a "hegemonia dos grupos que condicionam toda a economia" regional. "Dar...

Eleições/Madeira: PTP quer mais deputados para lutar contra “hegemonia” dos grupos económicos
A cabeça de lista do PTP às eleições legislativas da Madeira, Raquel Coelho, quer "manter e reforçar" a representação parlamentar e estabelece como prioridade lutar contra a "hegemonia dos grupos que condicionam toda a economia" regional. "Dar dignidade, trabalhar com mais ética: essa é a nossa missão, que é hercúlea, mas possível de concretizar", afirmou em entrevista à agência Lusa, sublinhando que, para a Madeira se desenvolver, tem de funcionar em "livre mercado" e "não pode haver empresários protegidos pelo sistema político". Raquel Coelho disse que o objetivo do PTP nas eleições de 22 de setembro é colocar os recursos da região ao serviço dos madeirenses e porto-santenses, defendendo os direitos dos trabalhadores e ajudando os "eternos esquecidos da política regional": os reformados e pensionistas. "Obviamente que esperamos manter e reforçar a representação parlamentar", salientou a candidata, realçando que o PTP se assume como uma "força decisiva" para fazer a defesa do povo do arquipélago. O partido conta atualmente com um deputado na Assembleia Legislativa da Madeira, a própria Raquel Coelho, num total de 47, sendo a maioria - 24 - do PSD. "Se houver um conjunto de partidos que tenha no seu programa de governo políticas que vão ao encontro do nosso programa, nós temos é mais que apoiar", disse a candidata, vincando que não se pode "comprometer mais do que isto" em relação a possíveis coligações. Raquel Coelho alertou, no entanto, para a "falta de determinação e coragem" dos partidos do arco do poder em romper com os "vícios do passado", considerando que a região foi "capturada por interesses privados" nos últimos quarenta anos. "Interesses estes que gravitam em torno dos três grandes partidos da região - PSD, CDS, PS - e são forças e grupos económicos que basicamente enriqueceram à conta do orçamento regional, com o empobrecimento das famílias da Região Autónoma da Madeira", declarou. A candidata trabalhista entende que a falta de "coragem política" para pôr cobro a esta situação resultou num "clima de festa permanente", em que os poderes instituídos procuraram ludibriar os madeirenses com a realização de espetáculos durante todo o ano, que custam milhões de euros ao erário público. Raquel Coelho tem 31 anos e é licenciada em Gestão de Empresas. É filha do ex-presidente do PTP José Manuel Coelho, recentemente condenado em tribunal a três anos e meio de prisão efetiva por crimes de difamação agravada e desobediência. José Manuel Coelho é o quinto na lista de candidatos ao parlamento regional e será, por outro lado, o cabeça de lista do PTP pelo círculo da Madeira às eleições legislativas nacionais de 06 de outubro. "Aquilo que têm feito com ele é inaceitável e não há ninguém, que eu tenha tido a possibilidade de abordar, que concorde com a ignominiosa e horrível condenação a uma pena de cadeia de três anos e meio", disse a candidata, advertindo que, por isso, os partidos próximos do poder judicial podem ser prejudicados nos resultados eleitorais, uma vez que "os madeirenses não gostam de injustiças".