Encapuzados armados matam comandante de milícia paramilitar no sudoeste do Irão

Dois encapuzados armados mataram hoje no sudoeste do Irão um comandante local de uma milícia paramilitar e aliado do importante general iraniano morto recentemente num ataque norte-americano em Bagdad, indicou a agência oficial iraniana IRNA....

Encapuzados armados matam comandante de milícia paramilitar no sudoeste do Irão
Dois encapuzados armados mataram hoje no sudoeste do Irão um comandante local de uma milícia paramilitar e aliado do importante general iraniano morto recentemente num ataque norte-americano em Bagdad, indicou a agência oficial iraniana IRNA. O referido comandante, Abdolhossein Mojaddami, liderava as Basij, a milícia paramilitar subordinada aos Guardas da Revolução e utilizada na segurança interna, na cidade de Darkhoein (na província do Khuzistão), e foi baleado em frente à sua casa. Dois homens numa motorizada, armados com uma metralhadora e uma espingarda de caça, emboscaram Mojaddami, noticiou a IRNA. Outros media iranianos disseram que os homens tinham máscaras e que foram disparados quatro tiros. O caso está a ser investigação e o motivo ainda não foi esclarecido, embora unidades da Basij tenham estado envolvidas nos violentos confrontos na zona em novembro, nos quais muitos manifestantes foram feridos e mortos. A organização de defesa dos direitos humanos Amnistia Internacional indicou que mais de 300 pessoas terão sido mortas em todo o Irão na repressão às manifestações em novembro contra o aumento do preço da gasolina. Segundo a agência norte-americana Associated Press, a morte de Mojaddami é vista como mais um golpe para os Guardas da Revolução depois do assassinato por Washington do general Qassem Soleimani no início do mês na capital iraquiana. Mojaddami foi descrito pela IRNA como um aliado de Soleimani, que era comandante da Força Quds, encarregada das operações externas dos Guardas da Revolução.