Entrevistas aos agricultores no âmbito do Recenseamento Agrícola 2019 arrancam amanhã na Região

No âmbito do Recenseamento Agrícola 2019, esta sexta-feira, dia 25 de outubro, arranca no país e na Região, a fase de entrevistas, no terreno, aos agricultores, recordou esta tarde a Vice-Presidência do Governo Regional. Esta operação estatística...

Entrevistas aos agricultores no âmbito do Recenseamento Agrícola 2019 arrancam amanhã na Região
No âmbito do Recenseamento Agrícola 2019, esta sexta-feira, dia 25 de outubro, arranca no país e na Região, a fase de entrevistas, no terreno, aos agricultores, recordou esta tarde a Vice-Presidência do Governo Regional. Esta operação estatística de grande envergadura tem como objetivo caraterizar, de forma exaustiva, a agricultura em Portugal e é da responsabilidade do Instituto Nacional de Estatística (INE), cabendo a coordenação na Região Autónoma à Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM). O Recenseamento Agrícola realiza-se de dez em dez anos, no quadro da legislação europeia, sendo que na Região este é o 6.º Recenseamento, o primeiro dos quais foi realizado em 1977. Os resultados, a disponibilizar em finais de 2020, são fundamentais para a tomada de decisões das políticas agrícolas e de desenvolvimento rural a seguir no país e na Região. A recolha de dados, dirigida a todas as explorações agrícolas, será efetuada por entrevista presencial, em todo o território nacional, no período compreendido entre outubro de 2019 e maio de 2020. Na Região, a dimensão desta operação estatística envolve 40 Entrevistadora(e)s, bem como a contratação de 7 coordenadores pelo INE, 6 destacados para trabalho de campo, e 1 em gabinete, que conjuntamente com os técnicos da DREM serão responsáveis pela cadeia de recolha, análise e validação de dados. Entrevistadores credenciados Os agricultores serão contactados por um entrevistador, devidamente credenciado, a quem terão de responder a questões relativas à exploração agrícola, sendo que a sua participação ativa e empenhada é fundamental para garantir o rigor e a qualidade da informação recolhida. Salienta-se que, por lei, a resposta ao INE/DREM é obrigatória e confidencial; os dados individuais destinam-se à produção de estatísticas e constituem segredo estatístico, não sendo divulgados individualmente. Neste contexto, e para o sucesso desta operação, a DREM apela à colaboração de todos os agricultores, respondendo de forma exata e verdadeira ao Recenseamento Agrícola (RA 2019).