“Este será um mandato em que vamos valorizar a cidadania”, Augusta Aguiar

Augusta Aguiar teve hoje o seu primeiro ato oficial, enquanto secretária regional da Inclusão Social e Cidadania, deixando algumas ideias mestras do que será a sua orientação no futuro imediato. Foi no Museu de Imprensa, em Câmara de Lobos,...

“Este será um mandato em que vamos valorizar a cidadania”, Augusta Aguiar
Augusta Aguiar teve hoje o seu primeiro ato oficial, enquanto secretária regional da Inclusão Social e Cidadania, deixando algumas ideias mestras do que será a sua orientação no futuro imediato. Foi no Museu de Imprensa, em Câmara de Lobos, na sessão de abertura do Fórum de Intervenção Social, subordinado ao tema ‘Modelos e Práticas Inclusivas’, realizada no âmbito do Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza’. Esta uma iniciativa inserida no Plano Regional para a integração de pessoas em situação de sem-abrigo 2018-2020’, envolvendo várias entidades regionais. Na sua intervenção, Augusta Aguiar assegurou que o combate “à pobreza e exclusão social têm vindo e vão continuar a ser uma prioridade do Governo Regional”.  E, “como afirmou anteontem o Sr. Presidente do Governo Regional da Madeira, Dr. Miguel Albuquerque, na cerimónia de tomada de posse do XIII Governo Regional da Madeira, o governo irá nortear a sua ação por três grandes objetivos”, um dos quais, “assegurar maior igualdade e coesão social”.  “Nessa senda”, prosseguiu, e “no sentido de atingir a desejada Coesão Social, será reforçado o combate às desigualdades e discriminações, através do apoio às famílias mais carenciadas, para que estas tenham melhores condições de vida”. Assim, “vamos dar continuidade ao Plano Regional para a Integração de Pessoas em Situação de Sem-Abrigo, no qual este fórum se enquadra, garantindo sempre uma intervenção interinstitucional inclusiva, instituindo medidas de prevenção, proteção e integração”.  Aproveito a oportunidade para” agradecer publicamente não só à Câmara Municipal de Câmara de Lobos como a todos os parceiros envolvidos nesse plano regional, que muito têm contribuído para alcançar os objetivos delineados”. Augusta Aguiar assegura que este será “um mandato em que vamos valorizar a cidadania, ouvindo sempre os cidadãos, atendendo às suas necessidades e anseios legítimos e fazendo com que haja a consciência por parte de cada cidadão dos seus direitos e deveres e essa consciência adquire-se em comunidade, percebendo-se quais as questões que não estão bem e construindo em conjunto uma sociedade mais igualitária e justa, assumindo o desafio demográfico e geracional”. A finalizar, citou “o nosso Cardeal José Tolentino Mendonça. Uma grande viagem começa por um só passo”, fazendo votos que “este I Fórum seja o início de muitos e profícuos espaços de reflexão nesta área de tão grande importância como é a intervenção social”.     MEDIDAS Augusta Aguiar enumerou ainda medidas concretas “para melhor qualidade de vida e bem-estar de todos os madeirenses e porto-santenses, pretendemos levar a cabo um conjunto de medidas de combate à pobreza e exclusão social”, entre as quais, destacou: - Adoção de medidas inovadoras ao nível dos programas de apoio ao empreendedorismo e emprego; - Construção de nova habitação social e requalificação e conservação dos bairros sociais; - Aposta na economia social, como estímulo e combate às assimetrias locais. Nesta política social de coesão, contamos como sempre com as Instituições Particulares de Solidariedade Social, entidades com as quais pretendemos reforçar as parcerias existentes e alargar o apoio a outras valências; - Valorização e reforço do apoio aos cuidadores formais e informais; - Atenção especial e prioritária ao aumento do número de camas para idosos em lares, bem como o reforço dos funcionários em lares oficiais; - Criação de Centros de Noite para idosos, permitindo-lhes que fiquem durante o dia em suas próprias casas e que, à noite, possam estar em segurança nos nossos centros”. Todas estas medidas, enfatizou Augusta Aguiar, “visam uma cada vez maior e melhor intervenção social por parte do Governo Regional, em prol de um crescimento inclusivo que tenha reflexos positivos na vida das famílias madeirenses e porto-santenses.