”Estoril Merece estar na I Liga”

O madeirense João Diogo faz parte do plantel do Estoril-Praia que na passada segunda-feira garantiu o regresso da equipa da ‘linha’ ao principal escalão do futebol português. O jogador ao JM, começou por revelar a sua felicidade, garantindo que a equipa que representa é de I Liga. “Estou muito feliz como é natural. O Estoril-Praia dá-nos todas as condições necessárias. A nossa subida de divisão foi alcançada com todo o mérito. O Estoril-Praia é de I Liga e merece estar na I Liga”, disse à reportagem do JM. A representar o Estoril-Praia desde há duas temporadas, o futebolista garante que a sua mudança para o conjunto da linha, não foi um passo atrás mas sim o “passo certo”. “Sinceramente, quando regressei a Portugal, pensei que seria isso, mas pensei que regressando a Portugal estaria mais próximo da minha família. Hoje, sei que o passo que dei foi no sentido de evoluir cada vez mais a nível profissional, temos todas as condições aqui, não nos falta nada enquanto jogadores, por isso agora, considero que dei o passo certo”, fez questão de afirmar. A ligação de João Diogo ao Estoril-Praia termina já no final da presente temporada. O jogador até gostaria de ficar, mas o futuro para já é incerto. “O meu contrato está prestes a terminar. Ainda não houve qualquer abordagem, mas sei que não foi só da minha parte. Gostaria de permanecer, mas o futuro é ainda incerto, pois já tive algumas abordagens. Vamos esperar para ver e decidir o que é melhor para todos”, disse. João Diogo não se coibiu de comentar as prestações de Marítimo e Nacional, elogiando Julio Vélazquez, técnico com quem trabalhou no Belenenses. “Fizeram ambas uma época muito irregular. Acho que o Marítimo, ainda assim, acabou por dar um salto importante na classificação. O Júlio Velazquez foi determinante, trabalhei com ele e conheço as suas capacidades. Quanto ao Nacional, terá mesmo de se agarrar aos 12 pontos e lutar com todas as forças”. O futebolista também recordou a sua saída do Marítimo, para dizer que a vida continuou. “Continuo a gostar do Marítimo. Foi o clube onde fiz toda a minha formação, mas na altura, apesar de querer permanecer, isso acabou por não se proporcionar. Não chegámos a acordo mas hoje continuo a ser adepto do Marítimo”. Quanto ao futuro, João Diogo aponta cada vez mais para o trabalho. “Quero continuar a trabalhar para alcançar os objetivos que me são propostos a cada jogo em cada clube e em cada temporada”, frisou a concluir.

”Estoril Merece estar na I Liga”
O madeirense João Diogo faz parte do plantel do Estoril-Praia que na passada segunda-feira garantiu o regresso da equipa da ‘linha’ ao principal escalão do futebol português. O jogador ao JM, começou por revelar a sua felicidade, garantindo que a equipa que representa é de I Liga. “Estou muito feliz como é natural. O Estoril-Praia dá-nos todas as condições necessárias. A nossa subida de divisão foi alcançada com todo o mérito. O Estoril-Praia é de I Liga e merece estar na I Liga”, disse à reportagem do JM. A representar o Estoril-Praia desde há duas temporadas, o futebolista garante que a sua mudança para o conjunto da linha, não foi um passo atrás mas sim o “passo certo”. “Sinceramente, quando regressei a Portugal, pensei que seria isso, mas pensei que regressando a Portugal estaria mais próximo da minha família. Hoje, sei que o passo que dei foi no sentido de evoluir cada vez mais a nível profissional, temos todas as condições aqui, não nos falta nada enquanto jogadores, por isso agora, considero que dei o passo certo”, fez questão de afirmar. A ligação de João Diogo ao Estoril-Praia termina já no final da presente temporada. O jogador até gostaria de ficar, mas o futuro para já é incerto. “O meu contrato está prestes a terminar. Ainda não houve qualquer abordagem, mas sei que não foi só da minha parte. Gostaria de permanecer, mas o futuro é ainda incerto, pois já tive algumas abordagens. Vamos esperar para ver e decidir o que é melhor para todos”, disse. João Diogo não se coibiu de comentar as prestações de Marítimo e Nacional, elogiando Julio Vélazquez, técnico com quem trabalhou no Belenenses. “Fizeram ambas uma época muito irregular. Acho que o Marítimo, ainda assim, acabou por dar um salto importante na classificação. O Júlio Velazquez foi determinante, trabalhei com ele e conheço as suas capacidades. Quanto ao Nacional, terá mesmo de se agarrar aos 12 pontos e lutar com todas as forças”. O futebolista também recordou a sua saída do Marítimo, para dizer que a vida continuou. “Continuo a gostar do Marítimo. Foi o clube onde fiz toda a minha formação, mas na altura, apesar de querer permanecer, isso acabou por não se proporcionar. Não chegámos a acordo mas hoje continuo a ser adepto do Marítimo”. Quanto ao futuro, João Diogo aponta cada vez mais para o trabalho. “Quero continuar a trabalhar para alcançar os objetivos que me são propostos a cada jogo em cada clube e em cada temporada”, frisou a concluir.