“Eu não me vendo a cargos e tachos em Lisboa”, Bruno Melim

O líder da JSD Madeira, Bruno Melim, diz que não se vende “a cargos e tachos em Lisboa”. Falava a abrir os discursos da festa do PSD que decorre ao longo de todo o dia e que reúne milhares na herdade do Chão da Lagoa. “Hoje comemoramos mais...

“Eu não me vendo a cargos e tachos em Lisboa”, Bruno Melim
O líder da JSD Madeira, Bruno Melim, diz que não se vende “a cargos e tachos em Lisboa”. Falava a abrir os discursos da festa do PSD que decorre ao longo de todo o dia e que reúne milhares na herdade do Chão da Lagoa. “Hoje comemoramos mais uma vez a festa da autonomia, a festa da Madeira. Nos últimos tempos temos estado junto das pessoas e é assim que se faz política da Madeira”, disse, sublinhando a importância dos ensinamentos de Alberto João Jardim. Realça que a população enfrenta um “desafio ciclópico” algo que só faz da Madeira o povo lutador que sempre foi. Falando diretamente para a juventude, Bruno Melim lembra o que a Venezuela sofreu devido ao socialismo. “Hoje na Madeira temos politicas amigas da juventude, temos miúdos com menos de 13 anos que não pagam transportes públicos”, disse, ao qual se acrescentam os jovens madeirenses que podem agora viajar sem pagar as “módicas quantias do senhor da TAP” e a ajuda no pagamento das creches, tornando “mais fácil constituir família”. “Tudo isto foi feito no nosso legado”, ressalta, um “legado da igualdade das oportunidades”. Bruno Melim apela a que todos votem a 22 de setembro, e que ajudem a lutar "por uma causa, pela autonomia”, assumindo o compromisso de defender “uma Madeira livre, que seja uma Madeira dos madeirenses.”