EUA: Homem drogou e violou um rapaz autista de 15 anos. Dois dias depois, a vítima morreu

Alain Luis Forget, um homem de 58 anos, residente na cidade de Lakeland, no estado da Flórida, pediu autorização à avó de um adolescente autista para o levar à sua residência rural no condado de Hamilton, avança o jornal SOL. O final revelou-se trágico....

EUA: Homem drogou e violou um rapaz autista de 15 anos. Dois dias depois, a vítima morreu
Alain Luis Forget, um homem de 58 anos, residente na cidade de Lakeland, no estado da Flórida, pediu autorização à avó de um adolescente autista para o levar à sua residência rural no condado de Hamilton, avança o jornal SOL. O final revelou-se trágico. O indivíduo drogou o rapaz com Xanax e violou-o sendo que, volvidas 48 horas, o jovem perdeu os sentidos e acabou mesmo por morrer já no hospital. A informação foi avançada pelo Florida Department Of Law Enforcement e noticiada por órgãos de comunicação local como o Tallahassee Democrat, de acordo com o SOL. Os factos criminosos remontam ao dia 23 de dezembro de 2017 e Forget está acusado de três crimes de conduta sexual e lasciva perante uma criança com idade inferior a 16 anos, bem como de ter levado a que a mesma ingerisse estupefacientes. Apesar de ter chamado uma ambulância ao local, quando se apercebeu de que o menor não reagia, as autoridades concluíram que os abusos sexuais e as quantidades de morfina e Xanax presentes no organismo do mesmo foram as causas da sua morte, aliadas a uma pneumonia que desenvolveu enquanto esteve com o arguido. Os agentes policiais conduziram entrevistas a familiares e amigos, tanto da vítima como do agressor, e estes concordaram com a possibilidade de Forget ter levado a cabo comportamentos de cariz sexual com a criança. Os detetives acreditam que podem existir mais vítimas, apelam à colaboração da comunidade e salientam que Forget tem outra residência em Sorrento, no condado de Lake. A verdade é que o homem que se encontra atrás das grades desde a última terça-feira, enquanto aguarda julgamento - sem a possibilidade de ser libertado sob fiança -, já tem antecedentes criminais, tendo sido condenado, em 1995, a três anos de prisão por ter abusado sexualmente de uma criança com menos de 16 anos, sendo que cumpriu apenas um ano da pena. Em 2000, foi condenado a um ano por posse de cocaína.