Falência Thomas Cook: impacto “terrível” no turismo

A companhia britânica que tinha até ao fim de semana para conseguir arrecadar 200 milhões de libras (cerca de 227 milhões de euros) em fundos adicionais, abriu oficialmente falência informando através de um comunicado na página oficial da empresa....

Falência Thomas Cook: impacto “terrível” no turismo
A companhia britânica que tinha até ao fim de semana para conseguir arrecadar 200 milhões de libras (cerca de 227 milhões de euros) em fundos adicionais, abriu oficialmente falência informando através de um comunicado na página oficial da empresa. Em Portugal esta situação terá um impacto “terrível” no turismo, tal como afirma Elidérico Viegas, fundador e vice-presidente da Confederação do Turismo Português (CTP) numa entrevista à TSF. "O impacto é enorme, enormíssimo”, disse Elidérico Viegas sobre as consequências da companhia britânica no turismo algarvio. As dificuldades financeiras da empresa acumularam-se no ano passado, mas em agosto foram anunciadas negociações com o grupo chinês Fosun, que detém múltiplos ativos a nível mundial, nos setores de saúde, bem-estar, turismo (como o Clube Med), financeiro e até futebol (o clube inglês Wolverhampton Wanderers, treinado pelo português Nuno Espírito Santo).