Família madeirense ganha viagem a São Tomé e Príncipe por ser a visitante 25 milhões do Oceanário de Lisboa

Hoje, o Oceanário de Lisboa recebeu o visitante 25 milhões e assinalou este momento com um reconhecimento a todos os que, ao longo de 21 anos, têm contribuído para a conservação do oceano através da sua visita. A família Martins, um casal português...

Família madeirense ganha viagem a São Tomé e Príncipe por ser a visitante 25 milhões do Oceanário de Lisboa
Hoje, o Oceanário de Lisboa recebeu o visitante 25 milhões e assinalou este momento com um reconhecimento a todos os que, ao longo de 21 anos, têm contribuído para a conservação do oceano através da sua visita. A família Martins, um casal português residente na Madeira com uma filha de 8 anos de idade, foi hoje surpreendida na sua visita ao Oceanário de Lisboa. Quando foi assinalado o bilhete número 25 milhões, a família portuguesa foi secretamente sinalizada pelo staff do Oceanário, que, a partir desse momento, os acompanhou numa visita com apontamentos que lançavam pistas para uma surpresa que se revelaria maior. À saída do aquário, foram surpreendidos pela equipa de colaboradores e receberam como oferta o cartão Membership, que lhes permite visitar o Oceanário sempre que desejarem. Mas a surpresa não ficou por aqui e a família Martins foi convidada a conhecer de perto o projeto de conservação de tartarugas marinhas, em São Tomé e Príncipe, apoiado pelo Oceanário de Lisboa desde 2012. Para o Oceanário este é um momento assinalável: "É para nós um prazer presentear uma família portuguesa com a oportunidade de conhecer um projeto de conservação in situ como o programa Tatô, em São Tomé. Este projeto é um exemplo de sucesso de como a nossa ação, local e global, pode contribuir para a conservação da biodiversidade marinha. Só temos de agradecer a cada um dos nossos visitantes que, através da sua visita ao Oceanário, estão a contribuir ativamente para a conservação do oceano." afirma Patrícia Jesus, Diretora de Comunicação do Oceanário de Lisboa e da Fundação Oceano Azul. O programa de conservação de tartarugas marinhas, desenvolvido pela Associação Programa Tatô, é um projeto que implementa medidas de proteção para garantir a sobrevivência destes animais na ilha de São Tomé, com o envolvimento da comunidade local. Desde 1998, o Oceanário recebeu 25 milhões de visitantes de cerca de 200 nacionalidades e, em 2018, registou o recorde de mais de 1,4 milhões de visitantes, sendo um dos equipamentos culturais mais visitados em Portugal. É uma referência internacional para o conhecimento e a conservação do oceano e foi considerado, já por três vezes, o 'Melhor Aquário do Mundo' pelo 'Travelers' Choice', do TripAdvisor. Na concretização da sua missão de promover o conhecimento do oceano, sensibilizando os cidadãos para o dever da sua conservação, o Oceanário de Lisboa desenvolve atividades educativas, tornando os cerca de 1,5 milhões participantes dos seus programas educativos em ativos defensores do oceano. Só em 2018, o aquário financiou 16 projetos de conservação, num total de 465 mil euros, entre estes, o programa de conservação de tartarugas marinhas em São Tomé. Assumindo-se como instituição dedicada à conservação do oceano, o Oceanário de Lisboa apoia o conhecimento científico e financia projetos e atividades desenvolvidos por várias instituições, nacionais e internacionais, no domínio da conservação da biodiversidade e dos ecossistemas marinhos.