Feira do Livro do Funchal já tem primeira confirmação

A Câmara Municipal do Funchal edita obra sobre ligação entre Baltazar Dias e as artes em São Tomé e Príncipe, com textos de José Eduardo Agualusa, do ator Ângelo Torres e das investigadoras Cristina Trindade e Ana Nolasco. O tchiloli, uma forma...

Feira do Livro do Funchal já tem primeira confirmação
A Câmara Municipal do Funchal edita obra sobre ligação entre Baltazar Dias e as artes em São Tomé e Príncipe, com textos de José Eduardo Agualusa, do ator Ângelo Torres e das investigadoras Cristina Trindade e Ana Nolasco. O tchiloli, uma forma de teatro, música e dança, com origem em Portugal no século XVI, e ainda bastante persistente na ilha de São Tomé, em São Tomé e Príncipe, será o tema central de um livro cuja edição será apoiada pela Câmara Municipal do Funchal. Este tipo de arte, que atualmente é uma das mais significativas manifestações culturais de São Tomé e Príncipe, teve a sua origem a partir da obra teatral ‘A Tragédia do Marquês de Mântua’, escrita em 1540 pelo dramaturgo cego madeirense Baltazar Dias, que atualmente dá nome ao Teatro Municipal. De seu nome ‘Tchiloli’, a obra será lançada durante a 46.ª edição da Feira do Livro do Funchal, sendo a primeira confirmação do que se pode esperar do programa deste ano, deste que é um dos eventos regionais mais importantes ligados à literatura. O livro, que se pretende que seja produzido de forma artesanal, será composto por textos do escritor angolano José Eduardo Agualusa, das investigadoras Cristina Trindade e Ana Nolasco, e do ator Ângelo Torres, nascido na Guiné Equatorial. A parte gráfica terá a participação especial do artista santomense René Tavares, que será o responsável por criar as serigrafias desta obra. René Tavares tem vindo a dedicar o seu trabalho a esta tradição tão marcante para o seu povo, reativando-a com um olhar contemporâneo através dos seus desenhos, pinturas e, mais recentemente, recorrendo também à fotografia. Leia mais na edição impressa de hoje do JM.