Festa de Nossa Senhora da Piedade diferente do habitual

Como é tradição, a Festa de Nossa da Piedade realiza-se no penúltimo fim de semana de setembro. Este ano, face à pandemia de covid-19, apenas a embarcação que transporta a imagem de Senhora da Piedade fez-se ao mar neste sábado. Mas com restrições, nomeadamente quanto ao número de pessoas. Neste caso, só dez elementos da tripulação seguem viajem, aos quais se juntam seis convidados. Apenas a este número de pessoas foi concedida autorização para embarcar no atuneiro “Ilha”.  Facto é que a procissão de barcos – momento alto da festividade – já não é como antigamente, muito por culpa da doença viral.  Mas a tradição, essa, manteve-se. Hoje, pelas 15:00h, a imagem foi recolhida da ermida, no cimo do monte, seguindo-se de uma procissão de barco. Posteriormente e, no regresso ao cais, a imagem foi transportada para a igreja matriz do Caniçal onde fica até amanhã, dia de devolvê-la à capela da Piedade, com nova incursão marítima. Também para o dia de amanhã está prevista a celebração de uma missa pelas 13:00h. Segundo reza a lenda, um grupo de pescadores – em vias de naufragar – prometeu, caso regressem a terra sãos e salvos, organizar uma procissão em honra à Senhora da Piedade. Assim foi.  O pendor religioso associado a este costume é a génese de um dos hábitos mais queridos dos madeirenses. 

Festa de Nossa Senhora da Piedade diferente do habitual
Como é tradição, a Festa de Nossa da Piedade realiza-se no penúltimo fim de semana de setembro. Este ano, face à pandemia de covid-19, apenas a embarcação que transporta a imagem de Senhora da Piedade fez-se ao mar neste sábado. Mas com restrições, nomeadamente quanto ao número de pessoas. Neste caso, só dez elementos da tripulação seguem viajem, aos quais se juntam seis convidados. Apenas a este número de pessoas foi concedida autorização para embarcar no atuneiro “Ilha”.  Facto é que a procissão de barcos – momento alto da festividade – já não é como antigamente, muito por culpa da doença viral.  Mas a tradição, essa, manteve-se. Hoje, pelas 15:00h, a imagem foi recolhida da ermida, no cimo do monte, seguindo-se de uma procissão de barco. Posteriormente e, no regresso ao cais, a imagem foi transportada para a igreja matriz do Caniçal onde fica até amanhã, dia de devolvê-la à capela da Piedade, com nova incursão marítima. Também para o dia de amanhã está prevista a celebração de uma missa pelas 13:00h. Segundo reza a lenda, um grupo de pescadores – em vias de naufragar – prometeu, caso regressem a terra sãos e salvos, organizar uma procissão em honra à Senhora da Piedade. Assim foi.  O pendor religioso associado a este costume é a génese de um dos hábitos mais queridos dos madeirenses.