Força Aérea transportou em 2019 mais de 650 doentes e salvou 26 vidas no mar

A Força Aérea transportou, em 2019, “mais de 650 doentes” e salvou “26 vidas em alto mar”, anunciou hoje o ramo militar num balanço, informando que os F-16 realizaram “mais de 518 horas de voo de vigilância”. Em comunicado, o ramo das Forças...

Força Aérea transportou em 2019 mais de 650 doentes e salvou 26 vidas no mar
A Força Aérea transportou, em 2019, “mais de 650 doentes” e salvou “26 vidas em alto mar”, anunciou hoje o ramo militar num balanço, informando que os F-16 realizaram “mais de 518 horas de voo de vigilância”. Em comunicado, o ramo das Forças Armadas dá conta de que “em 2019, foram transportados mais de 650 doentes e salvas 26 vidas em alto mar”, contabilizando 876 horas de voo para o transporte urgente de doentes. Neste âmbito, foram efetuadas 498 missões e transportados 611 doentes nas aeronaves C-295M, EH-101 e Falcon 50. Destas, 272 missões foram realizadas nos Açores, com o transporte de 320 doentes, e 181 na Madeira, equivalendo a 244 doentes transportados. Para transporte de órgãos, a Força Aérea Portuguesa efetuou 32 missões ao longo do ano que agora cessa, num total de 65 horas de voo das aeronaves Falcon 50 e C-295M. A Força Aérea dá conta também de que os caça F-16 registaram “mais de 518 horas de voo de vigilância do espaço aéreo, em missões reais e de treino”, o equivalente a 140 missões realizadas a partir da Base Aérea n.º 5, em Monte Real, distrito de Leiria. Foram resgatadas a partir de navios 44 pessoas em 39 missões (134 horas de voo) e, em 78 missões de busca e salvamento, foram realizados 26 salvamentos.