Governo Regional pondera regresso aos estádios limitado a 200 a mil adeptos

A Secretaria Regional de Saúde está a preparar um projeto piloto para monitorizar o regresso do público aos estádios de futebol. Pedro Ramos fez saber à DGS e ao presidente da Liga de Clubes (e aguarda resposta) que “todos os atletas de todas as modalidades regionais serão testados na Região, à responsabilidade do Governo Regional, mas os restantes atletas das equipas adversárias que vêm para a Madeira, a responsabilidade terá de ser dos clubes”. Este é um assunto que pode ler na edição de hoje do jornal, ou ouvir, a partir das 13 horas, na 88.8 JMFM, no decurso da entrevista de Pedro Ramos, no âmbito do balanço do primeiro ano do atual mandato. A região pondera ainda que, nos primeiros jogos a decorrerem na Madeira, estes terão entre 200 a mil adeptos presentes - em que à semelhança do continente, estes serão sujeitos à medição de temperatura e higienização das mãos, a SRS pretende criar uma plataforma para “seguir durante um período de tempo essas pessoas, para ver se tudo funcionou com segurança”.

Governo Regional pondera regresso aos estádios limitado a 200 a mil adeptos
A Secretaria Regional de Saúde está a preparar um projeto piloto para monitorizar o regresso do público aos estádios de futebol. Pedro Ramos fez saber à DGS e ao presidente da Liga de Clubes (e aguarda resposta) que “todos os atletas de todas as modalidades regionais serão testados na Região, à responsabilidade do Governo Regional, mas os restantes atletas das equipas adversárias que vêm para a Madeira, a responsabilidade terá de ser dos clubes”. Este é um assunto que pode ler na edição de hoje do jornal, ou ouvir, a partir das 13 horas, na 88.8 JMFM, no decurso da entrevista de Pedro Ramos, no âmbito do balanço do primeiro ano do atual mandato. A região pondera ainda que, nos primeiros jogos a decorrerem na Madeira, estes terão entre 200 a mil adeptos presentes - em que à semelhança do continente, estes serão sujeitos à medição de temperatura e higienização das mãos, a SRS pretende criar uma plataforma para “seguir durante um período de tempo essas pessoas, para ver se tudo funcionou com segurança”.