Grécia prolonga confinamento até 4 de maio

A Grécia prolongou hoje até 04 de maio o confinamento geral imposto há um mês para travar a propagação do coronavírus, prevendo para já, como única medida de alívio das restrições, a reabertura parcial dos tribunais na segunda-feira. A Grécia impôs restrições mais cedo que do que outros países europeus, devido ao elevado envelhecimento da sua população e às fragilidades do sistema de saúde, enfraquecido por uma década de crise económica e financeira. O país é dos menos afetados pela pandemia na Europa, com cerca de 2.400 casos de infeção e 121 mortes associadas à covid-19, segundo números oficiais. “O levantamento do confinamento será feito em várias fases sucessivas durante os meses de maio e junho”, disse hoje o porta-voz do governo, Stelios Petsas, acrescentando que “o impacto no sistema de saúde será avaliado semana a semana”. “As medidas restritivas, inicialmente previstas para terminarem a 27 de abril, serão prolongadas até 04 de maio”, disse, em conferência de imprensa. A partir da próxima segunda-feira vão poder reabrir as secretarias dos tribunais e registos prediais, segundo anunciou, no princípio desta semana, o mesmo porta-voz. O calendário das diferentes fases de saída do confinamento deve ser anunciado pelo primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, na próxima semana. O confinamento foi imposto a 23 de março, a par do encerramento de lojas, hotéis, museus, monumentos, restaurantes e cafés, entre outros. Apenas os supermercados e farmácias foram autorizados a permanecer abertos. Os motivos para sair de casa são limitados, sujeitos à apresentação de uma declaração, e a violação das restrições sancionada com multa. As autoridades têm elogiado várias vezes o respeito das medidas pela maioria dos cidadãos e, mesmo na celebração da Páscoa ortodoxa, a 19 de abril, habitualmente marcada pela saída dos habitantes das cidades, concentrações nas igrejas e reuniões familiares, os gregos mantiveram-se em casa, celebrando nas varandas e com missas à porta fechada.

Grécia prolonga confinamento até 4 de maio
A Grécia prolongou hoje até 04 de maio o confinamento geral imposto há um mês para travar a propagação do coronavírus, prevendo para já, como única medida de alívio das restrições, a reabertura parcial dos tribunais na segunda-feira. A Grécia impôs restrições mais cedo que do que outros países europeus, devido ao elevado envelhecimento da sua população e às fragilidades do sistema de saúde, enfraquecido por uma década de crise económica e financeira. O país é dos menos afetados pela pandemia na Europa, com cerca de 2.400 casos de infeção e 121 mortes associadas à covid-19, segundo números oficiais. “O levantamento do confinamento será feito em várias fases sucessivas durante os meses de maio e junho”, disse hoje o porta-voz do governo, Stelios Petsas, acrescentando que “o impacto no sistema de saúde será avaliado semana a semana”. “As medidas restritivas, inicialmente previstas para terminarem a 27 de abril, serão prolongadas até 04 de maio”, disse, em conferência de imprensa. A partir da próxima segunda-feira vão poder reabrir as secretarias dos tribunais e registos prediais, segundo anunciou, no princípio desta semana, o mesmo porta-voz. O calendário das diferentes fases de saída do confinamento deve ser anunciado pelo primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, na próxima semana. O confinamento foi imposto a 23 de março, a par do encerramento de lojas, hotéis, museus, monumentos, restaurantes e cafés, entre outros. Apenas os supermercados e farmácias foram autorizados a permanecer abertos. Os motivos para sair de casa são limitados, sujeitos à apresentação de uma declaração, e a violação das restrições sancionada com multa. As autoridades têm elogiado várias vezes o respeito das medidas pela maioria dos cidadãos e, mesmo na celebração da Páscoa ortodoxa, a 19 de abril, habitualmente marcada pela saída dos habitantes das cidades, concentrações nas igrejas e reuniões familiares, os gregos mantiveram-se em casa, celebrando nas varandas e com missas à porta fechada.