Guilherme Silva destaca a leitura visionária do manifesto de Pestana dos Reis

Guilherme Silva, presidente da Comissão dos 600 anos da Descoberta da Madeira e do Porto Santo, destacou hoje, na cerimónia de lançamento do livro “A autonomia da Madeira”, de Manuel Pestana dos Reis, a atitude visionária do autor do manifesto, escrito há quase um século. O manifesto, recuperado no livro agora editado sob a chancela da comissão e da Assembleia Legislativa da Madeira, é, para Guilherme Silva, uma “base fundamental” que “marcou uma viragem na autonomia regional”. Aliás, para o antigo vice-presidente da Assembleia da República, “o legislador de 1976 não deixou de tirar alguma inspiração no texto de Manuel dos Reis”. Com efeito, no manifesto de Manuel Pestana dos Reis, o autor defende poderes legislativo e executivo próprios e apresenta já o conceito de região autónoma para a Madeira.

Guilherme Silva destaca a leitura visionária do manifesto de Pestana dos Reis
Guilherme Silva, presidente da Comissão dos 600 anos da Descoberta da Madeira e do Porto Santo, destacou hoje, na cerimónia de lançamento do livro “A autonomia da Madeira”, de Manuel Pestana dos Reis, a atitude visionária do autor do manifesto, escrito há quase um século. O manifesto, recuperado no livro agora editado sob a chancela da comissão e da Assembleia Legislativa da Madeira, é, para Guilherme Silva, uma “base fundamental” que “marcou uma viragem na autonomia regional”. Aliás, para o antigo vice-presidente da Assembleia da República, “o legislador de 1976 não deixou de tirar alguma inspiração no texto de Manuel dos Reis”. Com efeito, no manifesto de Manuel Pestana dos Reis, o autor defende poderes legislativo e executivo próprios e apresenta já o conceito de região autónoma para a Madeira.