Homem detido no Quénia quando tentava vender 100 quilos de presas de elefante

A polícia queniana disse hoje ter detido no sábado um homem que tentava vender 100 quilogramas de presas de elefante, avaliados em cerca de 85.700 euros, em Nyandarua, no centro-sul do Quénia. O homem de 42 anos foi detido por agentes que se...

Homem detido no Quénia quando tentava vender 100 quilos de presas de elefante
A polícia queniana disse hoje ter detido no sábado um homem que tentava vender 100 quilogramas de presas de elefante, avaliados em cerca de 85.700 euros, em Nyandarua, no centro-sul do Quénia. O homem de 42 anos foi detido por agentes que se fizeram passar por compradores e encontra-se sob custódia, enquanto um outro vendedor conseguiu fugir, indicou o departamento de investigação criminal da polícia. O Quénia juntou-se em 2018 a uma petição dirigida à União Europeia e impulsionada pelo movimento da sociedade civil Avaaz, para a proibição do comércio de qualquer tipo de marfim, responsável pela caça ilegal de entre 20.000 a 30.000 elefantes anualmente, o que faz temer pela sobrevivência da espécie. O Botsuana, o Uganda e o Gabão são outros dos signatários da petição. Propriedades medicinais e afrodisíacas são atribuídas às presas de elefante em vários países da Ásia, destino de muita desta mercadoria ilegal.