Igreja das Achadas da Cruz acolheu no passado domingo Festa de São Francisco Marto

No passado domingo, dia 16 de fevereiro, na Igreja das Achadas da Cruz, Arciprestado de São Vicente e Porto Moniz, ocorreu a Festa de São Francisco Marto, padroeiro dos Acólitos portugueses. Tal como nos anos anteriores, a Festa contou com...

Igreja das Achadas da Cruz acolheu no passado domingo Festa de São Francisco Marto
No passado domingo, dia 16 de fevereiro, na Igreja das Achadas da Cruz, Arciprestado de São Vicente e Porto Moniz, ocorreu a Festa de São Francisco Marto, padroeiro dos Acólitos portugueses. Tal como nos anos anteriores, a Festa contou com a presença de um número significativo de acólitos, 83, oriundos de 18 paróquias da Diocese. Marcaram presença também, 9 sacerdotes, que acompanharam os seus acólitos à referida paróquia para concelebrar a eucaristia da Festa. Presidiu à eucaristia e procissão, o Padre João Carlos Gomes, pároco do Livramento e Imaculado Coração de Maria, no Funchal, e membro do Secretariado Diocesano de Liturgia. Na homilia, além do seu testemunho pessoal como acólito, sempre presente nas celebrações da sua paróquia de origem, Santana, o Padre João Carlos falou-nos da vida do pastorinho de Fátima, que “amava e adorava estar na presença de Jesus”. Recordando as palavras da Irmã Lúcia nos seus escritos, contou-nos que Francisco  retirava-se muitas vezes, sozinho e em silêncio, para fazer companhia a Jesus escondido no sacrário. Esta deve ser a atitude do acólito sempre quando serve no altar, pois “o acólito deve servir com amor e alegria o Senhor Jesus no interior e silêncio do seu coração”. Dada a palavra ao Padre Hélder, diretor do Serviço Diocesano de Acólitos, este chamou a atenção, como referia a liturgia do domingo, que a vida é feita de escolhas. “Deus dá-nos a capacidade de escolher e escolher o melhor”, pois os acólitos presentes tiveram que escolher entre estar todos juntos e celebrar o seu patrono ou estar noutros lugares. No entender do padre Hélder, “São Francisco Marto escolheu estar com Jesus para lhe fazer companhia, pois não gostava de o deixar sozinho”. Hoje, são os acólitos à imagem de São Francisco a dar esse testemunho no mundo. “Escolher Jesus é a melhor parte, para O levar ao mundo”, e apresenta-LO como Francisco Marto, na simplicidade como um Deus Amor, que está sempre presente em todos os sacrários da terra e à nossa espera para lhe fazer companhia. No final da eucaristia, seguiu-se a procissão, com a participação da comunidade local, da banda de música e das autoridades, que assim veneraram a imagem e a vida de São Francisco Marto, pastorinho de Fátima. Após a procissão, vieram os agradecimentos por parte do pároco local, Padre Ricardo Freitas. Agradeceu ao Serviço Diocesano, por se lembrar daquela comunidade por vezes esquecida, das autoridades locais que providenciaram toda a logística e a todos acólitos presentes. O Serviço Diocesano de Acólitos, agradeceu a todos, particularmente ao Padre Ricardo que acedeu ao convite desde a primeira hora, aos párocos presentes, ao Padre João Carlos que presidiu à Festa em representação do Senhor Bispo. A Festa de São Francisco Marto, padroeiro dos Acólitos, surgiu no ano 2017 pelo grupo de Acólitos da paróquia do Estreito de Câmara de Lobos, juntamente com o Serviço Diocesano e desde então, esta já passou pelas paróquias da Encarnação, de Gaula e agora pela paróquia das Achadas da Cruz. O Serviço Diocesano entende que é necessário ir às “periferias” e assim dar a oportunidade aos acólitos da Diocese de conhecer as realidades das paróquias chamadas de “desconhecidas”. É uma oportunidade também dessas mesmas comunidades poderem receber um encontro diocesano, pois estas como comunidades mais pequenas, nunca teriam a logística para receber um grande encontro ou evento diocesano. O anúncio da paróquia que irá receber a Festa de São Francisco Marto 2021, será no Dia Diocesano do Acólito, dia 25 de abril, na paróquia do Campanário.