Ikea investe 200 milhões de euros para melhorar impacto no clima até 2030

O Grupo Inter Ikea anunciou hoje um investimento de 200 milhões de euros para promover o uso de energias renováveis e a reflorestação, recuperação de florestas degradadas e melhoria da gestão florestal. A ideia, diz o grupo em comunicado, é...

Ikea investe 200 milhões de euros para melhorar impacto no clima até 2030
O Grupo Inter Ikea anunciou hoje um investimento de 200 milhões de euros para promover o uso de energias renováveis e a reflorestação, recuperação de florestas degradadas e melhoria da gestão florestal. A ideia, diz o grupo em comunicado, é acelerar a sua transformação "num negócio positivo para o clima" até 2030, aumentado o impacto positivo neste, como antecipação da Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP25). Os 200 milhões de euros de investimento vão ficar centrados em duas medidas estruturais, segundo o grupo: "Por um lado, transformar a cadeia de distribuição IKEA utilizando energias renováveis e, por outro, remover dióxido de carbono da atmosfera, através da reflorestação, da recuperação de florestas degradadas e da melhoria das práticas de gestão florestal", explica. Precisando que "mais de metade da pegada carbónica" da Ikea é proveniente das matérias-primas e da produção dos artigos, o grupo diz ter como ambição reduzir mais o valor absoluto de gases de efeito de estufa, do que o total emitido em toda a cadeia de valor IKEA, até 2030, enquanto o negócio se mantém em crescimento. O presidente executivo (CEO) do Grupo Inter Ikea, Torbjörn Lööf, salienta no comunicado que aquele investimento vai acelerar a transição para o uso de energia renovável na cadeia de valor e "ajudar a remover" dióxido de carbono da atmosfera, através da reflorestação e de melhores práticas de gestão florestal. "A primeira medida apoiará a ambição da IKEA em usar 100% de energia renovável em toda a produção até 2030", adianta, anunciando, como segunda medida, o investimento em projetos de reflorestação e gestão responsável das florestas. "A madeira é uma das principais matérias-primas usadas pela Ikea e, ao longo dos anos, a marca tem vindo a promover uma gestão florestal responsável em todo o mundo", afirma, salientando que florestas geridas de forma responsável desempenham um "papel vital" na proteção dos ecossistemas, apoiando a biodiversidade e a mitigação das alterações climáticas. “Acreditamos que a melhor maneira de minimizar o nosso impacto climático é, principalmente, reduzindo a nossa emissão de gases de efeito de estufa e ajudando na remoção do dióxido de carbono existente na atmosfera. Podemos fazer uma diferença positiva através da nossa cadeia de valor integrada, da nossa presença global e da nossa experiência com florestas e clima”, afirma no comunicado Lena Pripp-Kovac, Diretora de Sustentabilidade do Grupo Inter Ikea. A Ikea entrou em Portugal em 2004, com a abertura da Ikea Alfragide, tendo atualmente cinco lojas no país - Alfragide, Loures, Loulé, Matosinhos e Braga – e uma plataforma de venda 'online'. A Ikea Portugal, segundo dados disponíveis na sua página de internet, emprega 2.500 colaboradores, recebe cerca de 14 milhões de visitas anualmente nas lojas físicas e 30 milhões 'online'.