Incêndios devastam oeste dos Estados Unidos alimentados por ventos fortes

Os incêndios florestais continuam hoje descontrolados no oeste dos Estados Unidos, com ventos fortes a alimentarem as chamas. Os fogos estão a afetar estados como a Califórnia, onde um número sem precedentes de incêndios forçou resgates de milhares de pessoas e evacuações de vastas áreas, Washington, Oregon, Idaho, Colorado e Montana. Os meteorologistas estimam, porém, uma mudança nas condições do tempo, que podem ajudar a combater os fogos, nomeadamente, uma queda de temperatura de até 15 graus. “A massa de ar significativamente mais fria está a ajudar a reduzir as condições críticas de incêndio em todo o oeste, no entanto, a maior parte da costa oeste e condados adjacentes têm avisos de bandeira vermelha em vigor durante parte do dia”, disse o Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos. Pode ainda haver uma diminuição dos ventos até quinta-feira, “trazendo algum alívio para os incêndios em curso” e para a "ameaça" de mais fogos, segundo os meteorologistas. Na Califórnia, mais de 14.000 bombeiros estão a combater fogos, sendo que dois dos três maiores incêndios da história do estado estão a arder na Área da Baía de São Francisco. A Califórnia já bateu um recorde com perto de um milhão de hectares (930.800) ardidos este ano – ultrapassando o valor de há dois anos. Vários estudos nos últimos anos têm ligado os cada vez maiores incêndios florestais nos EUA com o aquecimento global provocado pela queima de carvão, petróleo e gás, especialmente porque as mudanças climáticas tornaram o estado da Califórnia muito mais seco, tornando as plantas mais inflamáveis. “A frequência de condições meteorológicas extremas duplicou na Califórnia nas últimas quatro décadas, com o principal fator a ser o aumento da temperatura nos combustíveis secos, o que significa que as cargas de combustível estão agora em níveis recorde quando a ignição ocorre e quando sopram ventos fortes”, afirmou o cientista da Universidade de Stanford Noah Diffenbaugh.

Incêndios devastam oeste dos Estados Unidos alimentados por ventos fortes
Os incêndios florestais continuam hoje descontrolados no oeste dos Estados Unidos, com ventos fortes a alimentarem as chamas. Os fogos estão a afetar estados como a Califórnia, onde um número sem precedentes de incêndios forçou resgates de milhares de pessoas e evacuações de vastas áreas, Washington, Oregon, Idaho, Colorado e Montana. Os meteorologistas estimam, porém, uma mudança nas condições do tempo, que podem ajudar a combater os fogos, nomeadamente, uma queda de temperatura de até 15 graus. “A massa de ar significativamente mais fria está a ajudar a reduzir as condições críticas de incêndio em todo o oeste, no entanto, a maior parte da costa oeste e condados adjacentes têm avisos de bandeira vermelha em vigor durante parte do dia”, disse o Serviço Meteorológico Nacional dos Estados Unidos. Pode ainda haver uma diminuição dos ventos até quinta-feira, “trazendo algum alívio para os incêndios em curso” e para a "ameaça" de mais fogos, segundo os meteorologistas. Na Califórnia, mais de 14.000 bombeiros estão a combater fogos, sendo que dois dos três maiores incêndios da história do estado estão a arder na Área da Baía de São Francisco. A Califórnia já bateu um recorde com perto de um milhão de hectares (930.800) ardidos este ano – ultrapassando o valor de há dois anos. Vários estudos nos últimos anos têm ligado os cada vez maiores incêndios florestais nos EUA com o aquecimento global provocado pela queima de carvão, petróleo e gás, especialmente porque as mudanças climáticas tornaram o estado da Califórnia muito mais seco, tornando as plantas mais inflamáveis. “A frequência de condições meteorológicas extremas duplicou na Califórnia nas últimas quatro décadas, com o principal fator a ser o aumento da temperatura nos combustíveis secos, o que significa que as cargas de combustível estão agora em níveis recorde quando a ignição ocorre e quando sopram ventos fortes”, afirmou o cientista da Universidade de Stanford Noah Diffenbaugh.